Chuva não para em BH até a próxima semana; entenda o tempo instável na capital

Bernardo Estillac
bernardo.leal@hojeemdia.com.br
07/01/2022 às 17:19.
Atualizado em 10/01/2022 às 02:02
 (Fernando Michel/ Hoje em Dia)

(Fernando Michel/ Hoje em Dia)

Muito pouco ou quase nada de sol foi visto em Belo Horizonte nos sete primeiros dias de 2022. Na região Centro-Sul da capital, por exemplo, já choveu mais de 66% do esperado para todo janeiro. Fenômenos meteorológicos ajudam a explicar a situação, que não deve se alterar até a metade da próxima semana.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), este fim de semana será marcado por pancadas de chuva na capital. Ainda nesta sexta, a Defesa Civil de BH emitiu alerta para tempestades de até 70mm na cidade.

De acordo com a meteorologista do Inmet, Anete Fernandes, a formação de zonas de convergência do Atlântico Sul, próximas ao litoral do Rio de Janeiro, eleva a umidade na região de Minas e favoreceu a prevalência de dias nublados e com chuvas frequentes neste início de ano.

As zonas de convergência formam uma faixa de umidade a partir de diferentes fluxos de ar e se estendem do sul da região amazônica até o oceano Atlântico. Elas causam chuvas em boa parte da região Sudeste, inclusive em Belo Horizonte.

A meteorologista afirma que a situação deve começar a mudar a partir desta terça-feira (11), quando o acumulado de chuvas será menor. Na próxima sexta (14), o verão começa a ter dias mais característicos da estação, com céu aberto e pancadas de chuva no fim da tarde.

Fim de ano chuvoso
As chuvas não dão trégua em Belo Horizonte desde novembro do último ano, quando choveu acima da média do mês em oito das nove regiões da cidade, de acordo com a Defesa Civil da capital. Anete Fernandes explica que esse cenário é resultado do fenômeno climático La Niña – resfriamento anormal nas águas superficiais do Oceano Pacífico na altura do Equador.

"Em anos de incidência do La Niña, as primaveras costumam ser mais chuvosas nesta região, por isso as chuvas já começaram no período do fim de outubro e início de novembro", afirma.

Média histórica
A média histórica de chuvas em Belo Horizonte é calculada pelo Inmet de acordo com números coletados em um intervalo de 30 anos. Atualmente, ela é estabelecida pelo período entre 1981 e 2010.

De acordo com a meteorologista, o instituto segue a orientação da Organização Meteorológica Mundial (OMM) para estabelecer o período de média histórica e este ano o intervalo deve ser alterado para 1991 e 2020.

"Houve uma variabilidade muito grande das chuvas a partir da década de 1990, então foi feita uma nova média para ficar mais coerente com essas observações. Porém, ainda não é possível afirmar se haverá uma alteração na percepção do acumulado de chuvas em relação às médias históricas", explica.

Veja o aculado de chuvas (em mm) em BH até as 17h desta sexta (7) e o percentual em relação à média histórica para o mês de acordo com a Defesa Civil:

  • Barreiro – 169,2 (51,4%)
  • Centro Sul – 217,1 (66,0%)
  • Leste – 184,4 (56,0%)
  • Nordeste – 135,2 (41,1%)
  • Noroeste – 170,2 (51,7%)
  • Norte – 122,6 (37,3%)
  • Oeste – 178,0 (54,1%)
  • Pampulha – 126,4 (38,4%)
  • Venda Nova – 121,2 (36,8%)
Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por