O avanço da vacinação contra a Covid-19 em Minas, que reflete em uma melhora no cenário epidemiológico, faz com que cidades do Estado já desobriguem o uso da máscara de proteção em locais abertos e arejados. A medida, no entanto, não é aconselhada por especialistas, já que o vírus, assim como as variantes dele, ainda circulam por aqui. 

A queda do uso da máscara já é vista em cidades grandes mineiras, como Ipatinga, no Vale do Rio Doce, Patos de Minas, no Triângulo Alto Paranaíba, Pará de Minas, no Centro-Oeste, e Sete Lagoas, na região Central. Em todas elas, a justificativa para a medida considera o crescimento da imunização, assim como a baixa hospitalização de pacientes com a doença, queda no número de óbitos e de novos casos.

É preciso lembrar que o uso da proteção facial segue sendo obrigatório em locais fechados. A decisão, que também já foi tomada pelo Rio de Janeiro, porém, é considerada precoce pelo infectologista e membro do Comitê de Enfrentamento à Covid em Belo Horizonte, Unaí Tupinambás.

“A gente tem visto a situação em outros países. Na Europa, locais com níveis de vacinação muito próximos aos do Brasil, ou até mais, estão tendo uma quarta onda. Então, neste momento, acho que ainda é precoce abrir mão da máscara”, disse o especialista ao Hoje em Dia.  

O médico considera, ainda, que é preciso seguir as medidas de proteção contra o vírus, assim como garantir a imunização com duas doses o quanto antes. 

“Parece que voltou ao normal, o movimento está igual ao pré-pandemia. E acho que o momento é de ter um pouco mais de cautela. A pandemia não acabou, temos que manter o uso da máscara e claro, sempre que possível, evitar aglomerações”, finalizou. 

Em todo o território mineiro, mais de 75% da população com 12 anos ou mais concluiu o esquema vacinal, com duas doses ou dose única, da Janssen. Isso representa mais de 13,6 milhões de pessoas. Quando consideramos apenas a primeira dose, o índice ultrapassa os 90%, com mais de 16,3 milhões de mineiros contemplados. 

Cenário em Minas

Segundo informou a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), a decisão sobre a desobrigação do uso de máscaras em lugares abertos em todo o Estado será deliberada pelo Comitê Extraordinário Covid-19 a partir da avaliação dos indicadores relacionados à epidemia, como taxa de transmissão comunitária, taxa de mortalidade, letalidade, positividade de exames e percentual de vacinados. No entanto, essa decisão ainda não tem data marcada.

Para que a medida seja tomada, serão levados em consideração a heterogeneidade do cenário epidemiológico e assistencial nas regiões de Minas Gerais, assim como os alertas e evidências apresentados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) acerca do aumento da transmissão da Covid, óbitos e internações em decorrência do agravamento da doença em determinadas áreas.

Leia mais:
Jovens de 15 anos completam esquema vacinal contra a Covid com a Pfizer nesta sexta-feira em BH
Índice de transmissão da Covid-19 em Belo Horizonte segue estável em 0,94%
Brasil registra 303 mortes e 12.126 casos de Covid-19 em 24 horas