Após o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), afirmar que “não pode proibir ninguém de sair de casa no Carnaval” e que a cidade não vai patrocinar o evento, o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, disse em entrevista à Rede Globo, nesta segunda-feira (22), que ‘a folia vai acontecer, e que não podemos fechar os olhos”.

“As festas estão acontecendo, os eventos estão acontecendo. Então, em fevereiro, o Carnaval irá”, afirmou o chefe da pasta.

Baccheretti ainda destacou que um "Carnaval desorganizado é mais arriscado do que o Carnaval organizado". Além disso, adiantou que a Secretaria de Estado de Saúde (SES) irá atualizar os protocolos de eventos para que os municípios consigam planejar uma folia segura.

“Se a gente não der essa orientação, o Carnaval vai acontecer de forma desorganizada com maior risco para a população. Que seja o número máximo de pessoas dentro de cada bloco, que seja obrigação de testagem ou cartão de vacina”, reforçou o secretário.

Fábio Baccheretti ainda comentou sobre a importância da festa para a economia local de várias cidades. Os principais beneficiados são os comércios, restaurantes e hotéis.

Ainda segundo o titular da SES, a expectativa é que até mais de 90% dos mineiros estejam vacinados com as duas doses contra a Covid-19 até o fim de fevereiro. No mesmo período, acredita-se que todos os adultos do Estado já tenham tomado o reforço, além de crianças de 5 a 11 anos, que devem ser incluídas no calendário de imunização nas próximas semanas.

Em 2022, o Carnaval deve acontecer entre o fim de fevereiro e o início de março.

Leia mais:
Kalil diz que a prefeitura não vai patrocinar o carnaval; setores envolvidos esperam por definição
‘Não tenho medo de impeachment’, diz Kalil sobre indiciamentos em CPIs da Câmara Municipal