A Polícia Federal (PF) desencadeou, na manhã desta quarta-feira (30), a operação Reborn, contra crimes de associação e falsidade ideológica. Foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão em Belo Horizonte (3), Ribeirão das Neves (1), Igarapé (1) e Lagoa Santa (1), na região metropolitana.

Conforme a corporação, suspeitos usavam os documentos fraudados para receber benefícios pagos com dinheiro público. As investigações começaram depois de análise de documentos apreendidos durante a operação Stellio, que desvendou fraudes no saque de créditos de precatórios judiciais através de procurações falsas. 

Nas análises desses documentos, surgiram indícios de que, além de procurações, certidões de nascimento falsas eram lavradas pela responsável por um cartório de registro civil localizado na região Norte de Minas. 

Ainda segundo a PF, os investigados fraudavam documentos de identificação expedidos por vários órgãos, como carteiras de identidade, CPFs, títulos eleitorais e CNHs; além da criação de uma pessoa jurídica, cadastramento de biometria eleitoral, cadastramento de veículos e solicitações de auxílio emergencial.

As investigações localizaram um brasileiro, com cidadania norte-americana e procurado pela Interpol, vivendo em Florianópolis com uma dessas identidades falsas. 

Além da Grande BH, a PF cumpriu mandados em São Paulo, Santa Catarina e Espírito Santo. 

Leia mais: 
Polícia procura jovem suspeita de aplicar golpe 'Boa Noite, Cinderela' em bairros nobres de BH
Sete pessoas são presas por atuarem ilegalmente como despachantes nos arredores do Detran em BH