A chuva que caiu sobre a cidade de Ubá, na Zona da Mata, foi a maior da história do município, informou nesta quinta-feira (5), a prefeitura da cidade. Na quarta-feira (4), o ribeirão Ubá, que corta a região central transbordou e chegou a maior altura já registrada. Duas pontes caíram e distritos estão isolados.

Segundo a prefeitura, a água do ribeirão nunca tinha ultrapassado as pontes e por isso o cenário foi considerado inédito. Um gabinete de crise foi montado ainda noite de quarta-feira com membros do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil, da Polícia Militar e da assistência social para monitorar a situação nos bairros.

A chuva começou no início da noite e em pouco mais de duas horas o Corpo de Bombeiros atendeu 21 ocorrências com 18 pessoas resgatadas em situação de risco. Apesar disso, a Defesa Civil diz não haver desalojados ou desabrigados.

Uma das pontes que ruiu, no bairro Fazendinha, havia sido reconstruída no mês passado após a tempestade que atingiu Ubá em janeiro deste ano, quando o período chuvoso se intensificou em Minas, causando estragos em várias cidades.  Além de isolado, o bairro está sem energia elétrica.

A Energisa, empresa responsável pelo abastecimento de energia elétrica no município diz que técnicos trabalham desde a noite de quarta-feira na região e que a previsão é que o fornecimento seja restabelecido ainda nesta quinta-feira (5). Já a Secretaria de Obras diz que uma rota alternativa para acesso ao Fazendinha, passando pelo bairro Rosa de Toledo, deve ficar pronta nesta sexta-feira (6).

A ponte da rua Nossa Senhora Aparecida, no bairro Industrial, está interditada para avaliação. O distrito de Miragaia, um dos mais atingidos pelas precipitações, também está sem acesso. Já para o distrito de Ubari, o único acesso disponível é pelo desvio na estrada em direção a Divinésia, também na Zona da Mata.

A Defesa Civil informou que os três imóveis que desabaram já haviam sido interditados por estarem em risco. Um deles é um prédio na rua João Groppo, fechado desde a chuva do dia 24 de janeiro, que caiu na manhã desta quinta. Imóveis vizinhos estão sendo monitorados, mas moradores não precisaram deixar as suas casas.

Na rua Inês Guiducci, uma casa ruiu e foi parar dentro do ribeirão Ubá ainda no início da chuva. Ela havia sido interditada horas antes. No bairro Triângulo, uma casa também caiu durante a inundação, na rua Avelino Otoni, de acordo com o Corpo de Bombeiros.

O prefeito de Ubá, Edson Teixeira Filho (PHS), classificou a destruição causada pelo transbordamento como "inevitável" e pediu calma e tranquilidade aos moradores. Por meio de um vídeo publicado nas redes sociais, disse que o alerta de chuva veio quando a situação já estava caótica, mas não esclareceu de onde veio o alerta.

“A gente deve lembrar o seguinte: essa chuva foi inesperada. Tanto que só recebemos o alerta de tempestade às 19h41, muito tempo depois que a chuva já tinha até parado no Miragaia. Parece que foi ali o epicentro dessa chuva", afirmou.

O prefeito também pediu que os moradores evitem áreas inundadas, já que há previsão de precipitações em momentos alternados para o restante da semana. “Queria alertar a população para não ficar na beira do rio, não tentar passar de forma nenhuma em locais que estiverem alagados. A qualquer dúvida que tiverem, ligar para a Defesa Civil", disse.

Os moradores estão tendo que racionar água. A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) informou que, por causa de estragos da chuva, a estação de tratamento de água Miragaia está fora de operação. Ela abastece 40% do município.

A quinta-feira foi de limpeza nas ruas da parte urbana. Na zona rural, as escolas municipais não funcionam esta quinta-feira e a previsão é que na sexta-feira (6) também não haja aulas, já que as equipes foram deslocadas para averiguar os estragos nos bairros e em prédios públicos.

Questionada sobre o auxílio à população, a Secretaria de Desenvolvimento Social respondeu que kits com materiais de limpeza e cestas básicas estão sendo distribuídos nos locais onde são encontradas pessoas com necessidades.

"O atendimento na Policlínica Regional foi suspenso nesta quinta. Secretaria de Saúde orienta população que precisa ser vacinada que procure as Unidades de Saúde dos bairros Peluso, Schiavon, São Sebastião e São Domingos", disse a Secretaria de Saúde, em nota.

Ubá é uma das 196 cidades mineiras que decretaram situação de emergência em fevereiro por causa das chuvas que têm atingido o Estado neste verão. Na semana passada, o Hoje em Dia mostrou que o município ainda não havia enviado ao Ministério de Desenvolvimento Regional o formulário para receber a verba para reparos de estragos das chuvas.

Questionada, a prefeitura informou que vai agilizar o envio do documento. A cidade tem direito a R$ 506.952,31, segundo o ministério. A pasta só pode enviar o montante após o relatório ser entregue a aprovado por técnicos de Brasília.

As chuvas intensas e contínuas nos últimos dias elevaram os níveis de muitos rios na Zona da Mata e algumas cidades estão em alerta para possíveis inundações. Os municípios banhados pelos rios Pirapetinga, Pomba e Paraibuna são os que mais demandam atenção.

Leia Mais:
Bombeiros resgatam 14 pessoas ilhadas após transbordamento do rio Pomba, na Zona da Mata
Homem é resgatado após perder as forças e soltar isopor que o mantinha flutuando em rio de Muriaé
Rio Paraibuna transborda e provoca enchente em Juiz de Fora