Com uma estufa, exaustor e um filtro para evitar que o cheiro chamasse atenção de vizinhos, o delegado da Polícia Civil (PC) Felipe Cordeiro, de 48 anos, mantinha uma grande plantação de maconha na cobertura de seu apartamento, no bairro Itapoã, na Pampulha. Além de 35 pés da planta - 10 grandes e outros 25 menores -, no imóvel ainda foram localizados dois litros de óleo concentrado do pricípio ativo da droga, o Tetrahidrocanabinol (THC), material raro, com alto valor financeiro e grande potencial alucinógeno. 

A prisão do policial aconteceu na manhã desta quinta-feira (29), após a Polícia Militar (PM) receber uma denúncia anônima e, da casa do vizinho, visualizar a grande quantidade de pés de maconha. Nesta noite, a Corregedoria da PC concedeu uma entrevista coletiva e passou mais detalhes da prisão. 

O corregedor-geral da corporação, Luiz Carlos Ferreira, explicou que, assim que o delegado foi identificado, o órgão foi comunicado formalmente e enviou uma equipe de oito policiais que assumiram a ocorrência.

"Lá eles encontraram 35 pés de maconha, sementes, muita substância pronta para o consumo e, também, materiais para dolagem, que são plásticos usados para o acondicionamento na hora da venda. A perícia, ao fazer o levantamento, encontrou o princípio ativo, o THC, em óleo, o que é raro de achar. Com alto poder alúcinógeno e alto custo. Eram aproximadamente dois litros, sendo que, para fazer efeito de alguns cigarros de maconha, poucas  gotas já surtem efeito, segundo o perito", esclaresce o corregedor. 

Ouça um trecho da coletiva: 

Ainda conforme o oficial, a investigação ainda está no início e, por isso, não é possível dizer há quanto tempo Cordeiro vinha cultivando a droga. Atualmente lotado na 3ª Delegacia de PC de Venda Nova, o delegado - que é natural do Rio de Janeiro - está nos quadros da instituição mineira há 14 anos. Porém, ele já atuou na área de segurança pública em outros estados. 

Consumo próprio

Apesar de ainda não ter prestado depoimento oficialmente, o delegado Felipe Cordeiro alegou informalmente para a Corregedoria que toda a plantação seria apenas para consumo próprio. "Também foi preso um rapaz de 20 anos que estava na casa, que diz ser enteado do delegado e que está vivendo no apartamento desde o início do ano por estar cursando nutrição em BH. Os dois estão presos, o delegado foi encaminhado para a casa de custódia e responderá criminalmente. O outro rapaz será encaminhado ao sistema prisional", completou Luiz Carlos Ferreira. 

Ouça: 

De acordo com a Corregedoria, se o tráfico de drogas ficar comprovado, o delegado poderá, além de responder criminalmente, até mesmo ser expulso da PC. "Ele já tinha algumas passagens, coisas de menor potencial ofensivo, e que não vamos citar por sere fatos passados, que já houve a reabilitação dele", concluiu o Corregedor-Geral. 

Leia mais:
Delegado é preso suspeito de cultivar maconha em cobertura na Pampulha; confira as fotos
Delegados presos na megaoperação Fênix são exonerados
Operação contra o tráfico de drogas prende 16 pessoas em Uberlândia