Com menos passageiros circulando nos ônibus de Belo Horizonte por causa da pandemia do novo coronavírus, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH) não descartar adotar uma medida drástica: cortar a circulação de alguns coletivos no período noturno. A medida, de acordo com o presidente da entidade Joel Paschoalin, é avaliada para reequilibrar as contas.

Com o isolamento social vivido na capital há nove dias, a queda no número de passageiros foi de 75%. Ainda conforme o sindicalista, apenas 22% dos coletivos deixaram de rodar. "O sistema está em um momento muito crítico (...) e ainda estamos atendendo a determinação do prefeito de máximo passageiro sentado", declarou.

Paschoalin detalhou que 75% da receita das empresas vai para pagar os salários dos funcionários (50%) e óleo diesel (25%). O resultado, de acordo com ele, é o colapso do sistema de transporte coletivo. "Uma ou outra empresa que tiver dificuldade em completar o diesel, pode ser que não entre no noturno e corte viagem que carregue dois, três ou cinco passageiros. Podem vir a ser cortada para que a gente garanta que, no momento de pico, que onde tem mais passageiros, não haja essa preocupação", disse.

d03d48a0-393c-42e1-8747-344151920729.jpgVeículos estão circulando vazios, conforme o Setra-BH

Serviço fundamental

O Setra-BH reconhece que o transporte público é essencial para o funcionamento da cidade. "Nós estamos transportando as pessoas dos hospitais, até o supermercado, farmácia (...) Temos que ter uma posição imediata e urgente para que a gente consiga manter o serviço", pontuou o presidente do Setra-BH.

"Tem que trazer recurso de fora porque a arrecadação da roleta, de maneira alguma, é suficiente para manter as operações da empresa. A situação está ficando cada dia mais crítica", prosseguiu Paschoalin. 

Punição

A BHTrans informou, por nota, que instruiu as empresas de transporte coletivo para que nenhuma linha de ônibus tenha um intervalo maior do que 30 minutos entre as viagens. "Mesmo assim, algumas viagens estão acima do previsto. A BHTRANS está apurando e pode determinar a punição das empresas que estão descumprindo a determinação", garantiu.

De acordo com órgão, uma das ações já adotadas é a exigência de ônibus extras para reforçar as linhas de ônibus nas estações São Gabriel, Vilarinho, Pampulha, Venda Nova, Barreiro e Diamante. A PBH, contudo, não comentou sobre a possibilidade de suspensão de viagens no período noturno.

Leia mais:
Rodoviária de BH tem pouco movimento e nenhuma orientação sobre coronavírus
Passageiros só assentados: BHTrans fiscaliza viagens para garantir cumprimento de decreto