Em uma reunião que durou cerca de uma hora, na tarde desta terça-feira (18), representantes do comércio de Belo Horizonte reivindicaram ao prefeito Alexandre Kalil que autorize a reabertura dos estabelecimentos durante quatro dias na semana. Atualmente, conforme decreto municipal, o funcionamento está permitido apenas de quarta a sexta-feira. O encontro terminou sem uma definição.

comercio

Atualmente, lojas de rua e shoppings estão autorizados a funcionar de quarta a sexta-feira em Belo Horizonte

Presidente do Sindicato dos Lojistas (Sindilojas), Nadim Donato afirmou que Kalil não prometeu atender aos pedidos. “Porque ele se baseia nos números de hoje e amanhã. Ele deve anunciar alguma coisa na quinta-feira (20)”, frisou o comerciante.

Ainda segundo Nadim, estatísticas do setor, de 1º a 18 de agosto, foram apresentadas ao chefe do Executivo. “O comércio está vendendo cerca de 30% do faturamento mensal. Para nós, é importante ter aberto três dias durante a semana, mas viemos pedir ao prefeito maior flexibilização, a nossa proposta inicial de quatro (abertos) por três dias (fechados)”, explicou o lojista. Dessa forma, segundo ele, os estabelecimentos iriam funcionar de terça a sexta-feira.

Bares e restaurantes

Durante o encontro nesta tarde, o Sindilojas também pediu a reabertura dos bares e restaurantes para que trabalhadores do comércio possam ter locais para almoçar. A entidade também frisou sobre a importância de reabrir os estabelecimentos de sexta a domingo.

Porém, o titular do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Belo Horizonte e Região Metropolitana (Sindbares), Paulo Pedrosa, não tem expectativa de que a retomada do setor seja permitida até a próxima semana. 

“A não ser que haja uma surpresa muito grande nos números, que estão estabilizados, em baixa, mas o prefeito foi firme na sua decisão. Ele tem olhado tanto para bares e restaurantes quanto para comércio, mas disse que aguarda os números (da Covid-19) hoje à noite, para avaliar, e chamar a gente na semana que vem para anunciar alguma data de reabertura”, complementou Paulo Pedrosa.

A reunião com Alexandre Kalil ocorreu na sede da PBH. Após o encontro, o chefe do Executivo não se pronunciou.

Em nota, a prefeitura informou que "as solicitações serão avaliadas com base nos números da pandemia em Belo Horizonte".

Leia Mais:
Reuniões nesta semana podem definir novos rumos do comércio em Belo Horizonte
Nova Lima reabre parte do comércio não essencial; restaurante e salão de beleza poderão funcionar
Fiscalização encontra 96 estabelecimentos irregulares em BH e interdita seis lojas na última semana