Os consumidores de Belo Horizonte devem ficar atentos ao funcionamento do comércio para não perder caminhada. Nesta segunda-feira (17), shoppings, lojas, galerias e salões de beleza ficam fechados. 

A metrópole restringiu a abertura dos estabelecimentos para impedir uma explosão de casos e mortes pelo novo coronavírus. Hoje, somente o que é essencial, como farmácias, supermercados e açougues, estão autorizados a manter as portas abertas.

Um decreto da prefeitura determina que as lojas de rua podem funcionar de quarta a sexta-feira, das 11h às 19h. Os shopping estão liberados para funcionar no mesmo período, mas de 12h às 20h. Praças de alimentação funcionarão somente por delivery ou retirada, sem consumo no local.

Já os serviços de cabeleireiros, manicures e pedicures têm permissão para reabrir entre quinta e sexta-feira, das 11h às 20h. E no sábado (15), entre 9h e 17h. Por causa das restrições do comércio, os ônibus e o metrô também estão com circulação reduzida até terça-feira (18).

Comerciantes que insistirem em burlar o decreto poderão ser punidos. Agentes da Guarda Municipal têm atuado em toda a cidade.

Confira os horários de funcionamento nesta semana:

Shopping centers (atividades autorizadas na fase 1): quarta a sexta-feira, entre 12h e 20h. Praças de alimentação funcionarão somente por delivery ou retirada, sem consumo no local.

Drive-in: sexta-feira a domingo, entre 14h e 23h

Comércio varejista não contemplado na fase de controle: quarta a sexta-feira, entre 11h e 19h

Comércio atacadista da cadeia de atividades do comércio varejista (incluindo vestuário), exceto comércio atacadista de recicláveis: quarta a sexta-feira, entre 11h e 19h

Cabeleireiros, manicures e pedicures: quinta a sexta-feira, entre 11h e 20h. Sábado, entre 9h e 17h

Galerias de lojas e centros de comércio: quinta a sexta-feira, entre 11h e 19h.

Estabelecimentos essenciais que já estavam abertos:

5h às 21h:
- Padaria

5h às 17h
- Comércio atacadista da cadeia de atividades do comércio varejista da fase de controle

7h às 21h:
- Comércio varejista de laticínios e frios
- Açougue e Peixaria
- Hortifrutigranjeiros
- Minimercados, mercearias e armazéns
- Supermercados e hipermercados
- Tintas, solventes e materiais para pintura
- Material elétrico e hidráulico, vidros e ferragem
- Madeireira
- Material de construção em geral

Sem restrição de horário:
- Artigos farmacêuticos
- Comércio varejista de artigos de óptica
- Artigos médicos e ortopédicos
- Combustíveis para veículos automotores
- Comércio varejista de gás liquefeito de petróleo (GLP)
- Agências bancárias: instituições de crédito, seguro, capitalização, comércio e administração de valores imobiliários
- Casas lotéricas
- Agências dos Correios e telégrafo
- Comércio de medicamentos para animais
- Atividades industriais
- Restaurantes (delivery ou retirada na porta)
- Banca de jornais e revistas

Leia mais:
Presidente do TRE-MG, Alexandre Carvalho quer eleições seguras e sem riscos de contágio
Coronavírus já provocou mais mortes em Minas do que câncer de mama
Um em cada 10 brasileiros não tomaria vacina contra Covid-19, aponta Datafolha