A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas (Sejusp-MG) informou, neste sábado (6), que Érika Passarelli - a ex-estudante de Direito julgada e condenada, em 2014, a 17 anos de prisão como mandante do assassinato do próprio pai - foi novamente detida em Belo Horizonte.

Segundo a pasta, Passarelli foi levada para o Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, no Horto, na região Leste de BH. O motivo da prisão não foi informado pela secretaria. Ela cumpria pena em regime aberto domiciliar.

A reportagem tentou contato com a defesa de Passarelli, mas sem sucesso.

O crime

Érika Passarelli foi condenada inicialmente a 17 anos de prisão em julgamento realizado no fórum de Itabirito, na região Central de Minas, em fevereiro de 2014. Ela foi julgada como mandante do assassinato do pai, o empresário Mário José Teixeira Filho, de 50 anos.

A vítima foi encontrada morta em 2010, dentro de carro, às margens da BR-356. A ex-estudante de Direito chegou a chorar ao ouvir a sentença ser proferida e foi levada de volta para o presídio feminino Estevão Pinto, onde já estava recolhida cumprindo prisão preventiva.

Segundo o Ministério Público, o homicídio foi planejado e executado para viabilizar o recebimento de seguros de vida, no valor aproximado de R$ 1,2 milhão, dos quais Erika era a única beneficiária. Em novembro de 2014, a 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), em Belo Horizonte, reduziu de 17 para 15 anos.