Foi sepultado, nesta quarta-feira (7), o corpo da mulher de 38 anos que morreu após uma cirurgia plástica em uma clínica particular no Lourdes, região Centro-Sul de Belo Horizonte. Ela foi velada e enterrada em um cemitério de Aranhas, distrito de Brumadinho, na região metropolitana da capital.

Após a operação, ela foi internada às pressas no Hospital Vera Cruz, no Barro Preto, já que a instituição de saúde onde ocorreu o procedimento não possui estrutura de CTI. A mulher havia entrado para o bloco cirúrgico da clínica por volta das 7h20 da última segunda-feira (6), retornando para o quarto apenas às 13h.

A irmã da vítima, que a acompanhou durante os procedimentos de abdominoplastia e lipoaspiração, explicou à Polícia Militar que, em certo momento, a paciente começou a se queixar de dores e falta de ar.

Conforme o relato, a acompanhante saiu do quarto para chamar os enfermeiros da clínica e, ao retornar, a irmã já estava desacordada. Os profissionais, então, iniciaram a massagem cardíaca e acionaram o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu).

No local, os paramédicos entubaram a paciente e a levaram até o hospital, onde foi realizada nova tentativa de reanimação. A mulher chegou ao local às 21h e faleceu quatro horas depois. A causa da morte foi registrada como embolia pulmonar. A Polícia Civil informou que a ocorrência foi registrada e o caso está sendo investigado.

Médico

A Polícia Militar entrou em contato com o médico responsável pela cirurgia. Segundo a corporação, ele afirmou que o procedimento ocorreu bem. Ainda conforme o especialista, ele não trabalha na clínica e usa apenas a estrutura para atender seus pacientes. 

Em nota, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Regional Minas Gerais (SBCP-MG) informou que a unidade hospitalar onde ocorreu o procedimento está apta a receber pacientes para realização de cirurgias plásticas e está regularizada junto aos órgãos de fiscalização e controle. 

Além disso, afirmou que o cirurgião é habilitado, tendo cumprido todas as etapas de formação e possui registro junto ao Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM-MG) e título de especialista em Cirurgia Plástica.

Luto

A vítima era funcionária da Prefeitura de Brumadinho, na região Metropolitana de Belo Horizonte, e trabalhava no Complexo Hospitalar Valdemar de Assis Barcelos. O prefeito da cidade junto com a Secretaria de Saúde lamentaram o falecimento da profissional. "Enviamos nossas condolências aos amigos e familiares”.

Leia mais:

Mulher morre após cirurgia plástica em clínica particular em BH; espaço não possui estrutura de CTI