A taxa de ocupação de terapia intensiva está em alerta vermelho e chegou a 81% nesta sexta-feira (5) em Belo Horizonte. Esse foi um dos motivos que levou o prefeito Alexandre Kalil a fechar mais uma vez o comércio não essencial da capital, que registra ainda 116.419 casos confirmados de Covid-19 e 2.815 mortes pela doença. São 20 óbitos só nas últimas 24 horas.

"São números absolutamente assustadores. Voltamos à estaca zero", afirmou o chefe do Executivo municipal.

Segundo o boletim epidemiológico e assistencial, as vagas de UTI no Sistema Único de Saúde (SUS), são um pouco maiores, 81,9%. Outro dado que também preocupa as autoridades é a taxa de ocupação dos leitos para outras doenças que está em 91,5%.

Na rede particular a situação não é diferente, com ocupação de leitos de UTI para Covid-19 chegando a 80,1% e 89,2% para pacientes de outras doenças.

Na Santa Casa de Belo Horizonte, nessa quinta-feira (4), 97% das UTIs estavam ocupadas. No Hospital Eduardo de Menezes, que é referência em infectologia, a terapia intensiva chegou a 93% de ocupação. Já no Júlia Kubitschek, esse índice está em 76%.

Além disso, oito crianças estão internadas em hospitais de Belo Horizonte por complicações da Covid-19. Todas elas estão hospitalizadas em enfermarias destinadas aos pacientes com o novo coronavírus, que chegou a um índice também preocupante nesta sexta, atingindo 61,9% de ocupação.

Segundo o secretário de Saúde Jackson Machado Pinto, entre esses pacientes estão dois bebês, um de 2 e o outro de 4 meses. "Desde março do ano passado, nós não tivemos nenhum dia com demanda de internação pediátrica por Covid. Hoje nós temos oito".