Uma nota técnica foi enviada pelo Ministério da Saúde aos municípios brasileiros na manhã desta quinta-feira (16) mudando a recomendação para vacinar adolescentes de 12 a 17 anos, sem comorbidades, contra o novo coronavírus. A pasta federal anunciou que incluiria esse público na campanha em julho.

O documento restringe a imunização desse público somente às pessoas que apresentem deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privadas de liberdade.

Segundo a Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, a decisão foi revisada apesar da autorização pela Agência Nacional de Vigilâcia Sanitária (Anvisa) do uso da Pfizer, com base nas seguintes premissas:

  • A Organização Mundial de Saúde não recomenda a imunização de criança e adolescente, com ou sem comorbidades;
  • A maioria dos adolescentes sem comorbidades acometidos pela COVID-19 apresentam evolução benigna, apresentando-se assintomáticos ou oligossintomáticos;
  • Somente um imunizante foi avaliado em ECR;
  • Os benefícios da vacinação em adolescentes sem comorbidades ainda não estão claramente definidos;
  • Apesar dos eventos adversos graves decorrentes da vacinação serem raros, sobretudo a ocorrência de miocardite (16 casos a cada 1.000.000 de pessoas que recebem duas doses da vacina); 
  • Redução na média móvel de casos e óbitos (queda de 60% no número de casos e queda de mais de 58% no número de óbitos por covid-19 nos últimos 60 dias) com melhora do cenário epidemiológico.

Clique aqui e confira a nota técnica na íntegra.

Em nota, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) afirmou que foi comunicada e segue as determinações do Plano Nacional de Imunização (PNI). Na capital, no entanto, apenas os jovens portadores de doenças crônicas foram vacinados contra o coronavírus. 

“A Prefeitura reafirma a disponibilidade de pessoal e todos os insumos necessários para a imediata continuidade do processo”, diz o comunicado.

Vespasiano, na região metropolitana, também confirmou o recebimento do parecer. A aplicação nesse público, que começaria hoje, já foi suspensa e segue apenas para os adolescentes com comorbidades, conforme o calendário já estabelecido.

A Prefeitura de Betim informou que mantém a vacinação contra a Covid dos adolescentes de 17 anos e aguarda orientações da Secretaria de Estado de Saúde (SES) sobre a Nota Informativa do Ministério da Saúde.

 

Procurado pela reportagem do Hoje em Dia, o ministério ainda não se posicionou sobre o assunto. A SES afirmou que seguirá as recomendações.

Leia mais:

Minas recebe mais de 600 mil doses das vacinas AstraZeneca e Pfizer nesta quinta-feira
Moradores de 55 anos podem tomar 2ª dose contra a Covid nesta quinta-feira em BH; confira locais