O deslocamento do talude da mina de Gongo Soco da Vale, em Barão de Cocais, na região Central de Minas Gerais, chegou a 42,4 centímetros por dia, segundo a última medição realizada pela Agência Nacional de Mineração (ANM), neste domingo (2). O valor é um pouco maior do que a última avaliação, que indicava uma movimentação de 33,4 centímetros por dia, neste sábado (1º).

Segundo o Corpo de Bombeiros, permanece a tendência de escorregamento desagregado do talude para o fundo da cava. Ao todo, 27 militares acompanham a movimentação do talude neste fim de semana, com auxílio de 10 viaturas.

Na última sexta-feira (31), uma porção de uma das paredes do talude de 600 m² se desprendeu em direção ao fundo da cava, mas a Barragem Sul Superior, que fica a uma distância de 1,5 quilômetro da Mina Gongo Soco, não foi afetada, segundo a Vale. A mineradora acredita que a estrutura irá deslizar gradualmente para a cava, sem afetar a barragem.

Leia mais:

Deslocamento de talude de mina em Barão de Cocais sobe a 33,4 cm por dia
Com 600 m², parte do talude que se soltou representa menos de 1% da estrutura
Vale consegue autorização judicial para ocupar terrenos próximos à mina em Barão de Cocais