Os crimes de corrupção, que até então eram apurados por delegacias comuns em Minas, agora passarão a ser investigados pela Divisão Especializada  de Combate à Corrupção, Investigação a Fraudes e Crimes Contra a Ordem Tributária. A criação da unidade foi anunciada pelo governador Romeu Zema (Novo) no início dos mês, porém, detalhes sobre como será o funcionamento do órgão só foram divulgados nesta sexta-feira (13), pela Polícia Civil (PC).

Segundo chefe da nova divisão, delegado Domiciano Monteiro, a expectativa é que a unidade especializada faça com que a apuração deste tipo de crime seja mais eficiente e incisivo. "Apesar desses crimes já terem investigação da PC, as delegacias tinham que se preocupar também com outras espécies de crimes. Com isso, a gente espera que haja muito mais eficiência no combate a esse tipo de crime", afirma. 

A nova divisão irá apurar crimes de corrupção ativa, passiva, peculato, emprego irregular de verbas públicas, fraudes em licitação, entre outros. "Além disso, firmamos convênios com outros órgãos, como a Controladoria Geral do Estado (CGE) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE), que repassarão informações de irregularidades que foram detectadas durante fiscalização. Com isso, a gente espera incrementar ainda mais essas apurações, pois as investigações podem ter início de diversas formas com essas informações sendo obtidas pela PC", complementa o delegado. 

A Divisão Especializada  de Combate à Corrupção, Investigação a Fraudes e Crimes Contra a Ordem Tributária terá atribuição para atuar em todo o Estado, apurando crimes quando for acionada pelas delegacias do interior, que também podem apurar este tipo de denúncia. 

Unidade Avançada de Lavagem de Dinheiro 

Ainda conforme Domiciano Monteiro, a mesma resolução que criou a divisão especializada determinou a criação de uma Unidade Avançada do Laboratório de Lavagem de Dinheiro, dentro do departamento.

"Essa fase de apuração da lavagem de dinheiro de desvios por corrupção nós poderemos combater de forma mais efetiva, utilizando uma série de ferramentas e mecanismos tecnológicos que otimizam a apuração deste tipo de crime", precisou o policial. 

O delegado lembra ainda que denúncias de corrupção também podem partir da população, através do canal Disque-Denúncia, pelo telefone 181, sendo que a denúncia pode ser feita de forma anônima. 

Leia mais:
Zema anuncia criação de delegacia especializada em combate à corrupção
Delegado é preso suspeito de cultivar maconha em cobertura na Pampulha; confira as fotos
Operação prende policial civil e advogado investigados por corrupção em Ubá
Prejuízos por fraudes nos Correios ultrapassam R$ 13 milhões