Virar a noite estudando na reta final do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pode deixar o aluno mais distante de uma vaga na universidade. Ao invés de absorver conhecimento, sacrificar o sono nesse período prejudica a memorização, principalmente dos conteúdos de Matemática e Ciências da Natureza, que serão cobrados no próximo domingo. Especialistas reforçam que dormir o tempo necessário é fundamental para o bom funcionamento do cérebro.

Em Minas Gerais, 60% dos inscritos nas provas têm de 16 a 20 anos, conforme dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). São mais de 321,4 mil candidatos nesta faixa etária. “O ideal é que as pessoas dessas idades durmam de oito a dez horas por dia”, frisa o psiquiatra e médico do sono José Mól.

Dormir

Dormir o tempo necessário é fundamental para o bom funcionamento do cérebro

O especialista explica que o aprendizado adquirido durante o dia é fixado na memória na fase profunda do sono, que acontece em vários momentos ao longo da noite.

Despertar antes do tempo ideal também gera consequências físicas, psicológicas e intelectuais, reforça José Mól. “Irritabilidade, cansaço excessivo, dificuldade de aprendizagem e até depressão”, enumera o médico, que também é membro da Associação Acadêmica Psiquiátrica de Minas Gerais (AAP-MG) e da Fundação Nacional do Sono (Fundasono).

Hora extra

Dormindo cerca de quatro horas por noite, Gustavo Durães, de 18 anos, percebe o desânimo durante as manhãs. “Mas prefiro descansar menos para cumprir o cronograma de estudos”, diz o estudante do Pré-Enem das Faculdades Promove.

Para o jovem, que busca uma vaga em Medicina na UFMG, a estratégia é a solução diante da rotina acelerada. “É à noite que faço as listas de exercícios. Vou até as 2h”.

No entanto, Gustavo garante que vai descansar na véspera do exame. “Assim como na última semana, vou deitar mais cedo para ter um bom desempenho”, conta o candidato, complementando que tem investido em alimentação saudável e que frequenta a academia. “Dá disposição”, garante o jovem.

"O sono tem diversas fases, nas quais são realizadas funções imprescindíveis para o desenvolvimento do corpo humano. É por isso que o tempo de sono e as horas de estudo devem ser proporcionais. Afinal, tão importante quanto a intensidade da preparação é o período em que o aluno passa repondo as energias. Então, assim como elabora um cronograma de estudos, planeje as horas de sono. Procure ir para a cama com a mente relaxada e sempre no mesmo horário. Não use o período da noite para estudar um pouco mais ou terminar determinada matéria. O cansaço extra não compensa"

Renata Federighi, consultora do Sono da Duoflex, fabricante de travesseiros especializada em tecnologia do sono

Hábitos saudáveis

Cardiologista da Unimed-BH, Valério Trindade aponta que reservar 30 minutos diários para a prática de atividades aeróbicas, como caminhada, ciclismo e natação, ajuda na concentração, diminui a ansiedade e facilita o sono de qualidade.

“Períodos de relaxamento e lazer nos dias que antecedem a prova colaboram para o êxito final”, afirma o médico.

O ambiente em que se dorme também faz a diferença. Confira na arte abaixo algumas dicas.

Leia Mais:

Automassagem ajuda a diminuir ansiedade antes do Enem; assista ao vídeo

Relaxar corpo e mente às vésperas do Enem é fundamental para ir bem na prova