A secretária de Estado de Educação de Minas Gerais, Julia Sant’Anna, afirmou que todos os erros presentes nos Planos de Estudos Tutorados (PETs), desenvolvidos para uso remoto entre alunos da rede estadual, já foram corrigidos. Durante coletiva realizada nesta quarta-feira (10), ela afirmou que a equipe já esperava que houvesse erros no material entregue aos estudantes e nas aulas transmitidas pela Rede Minas, de segunda a sexta-feira.

“O material é muito grande, feito de forma muito rápida, num contexto que ninguém estava esperando viver”, justificou a secretária, acrescentando que erros foram identificados logo no início do processo e foram corrigidos há semanas.

“É muito importante num momento como este, de grande sensibilidade, reconhecer que erros podem acontecer e como aconteceram. Havia já esse esforço de uma previsão de um canal de comunicação para os ajustes que fossem necessários”, completou.

De acordo com a Secretaria de Estado de Educação (SEE), a proposta do PET é de se apresentar em um formato muito próximo do material no qual o professor elaboraria para trabalhar com seus estudantes em sala de aula. Ao todo, foram preparadas 38 apostilas voltadas para as diferentes etapas da educação básica e suas modalidades de ensino.

Júlia disse ainda que não sabe quando as aulas voltarão, mas tem expectativa para que isso aconteça neste ano. Ela também anunciou que o segundo volume dos planos de estudos já estão sendo preparados.

Primeiras semanas

Desde o dia 18 de maio, os alunos da rede estadual contam com um Regime de Estudo não Presencial, que apresenta um conteúdo dirigido que pode ser baixado gratuitamente da internet, além de videoaulas que podem ser conferidas pela Rede Minas e pela internet. Segundo Júlia, o canal do Youtube é assistido 800 mil vezes por dia – a rede conta com cerca de 1,7 milhão de alunos.