A construção de uma área de escape na “descida do Betânia” do Anel Rodoviário, em BH, pode evitar os frequentes acidentes no local, segundo análise de especialistas em trânsito. A obra no trecho considerado o mais perigoso da via foi anunciada quinta-feira (27) pela prefeitura. 

Moradores da região e motoristas já aguardam ansiosos pela intervenção, prevista para setembro. Apesar da boa expectativa, outras medidas – algumas simples, como reforço da sinalização e instalação de radares – são essenciais para aumentar a segurança na via, onde uma mulher morreu recentemente

O caminhoneiro Alexandre de Abreu passa pelo Anel quase todos os dias há mais de 20 anos. O condutor nunca se envolveu em acidentes na região, mas já viu muitos. Segundo ele, há imprudência, mas, muitas armadilhas. “O afunilamento da pista e a sinalização são os maiores problemas”.

Para o especialista em trânsito Osias Baptista a situação no trecho deve melhorar em curto prazo. Porém, ele reforça que novas medidas precisam ser avaliadas. “Em primeiro lugar, falta o controle de velocidade. O motorista precisa de uma sinalização mais enfática, que de fato alerte para os problemas e faça os veículos descerem com o freio motor”.

Baptista também alerta para a necessidade de conscientização constante. “Toda forma de avisar e instruir os condutores pelo trecho será bem-vinda. Se essa obra fosse feita há 10 ou 15 anos, tenho certeza que muitas vidas teriam sido salvas”.

Para o diretor de sistema viário da BHTrans, José Carlos Mendanha Ladeira, a área de escape é um passo importante. Segundo ele, os condutores terão tempo de reação para, caso necessário, usar o dispositivo em emergências. 

“É solução, e não algo paliativo. Agora, não estamos falando de uma solução para o Anel Rodoviário, mas para o trecho do Betânia. A rodovia tem outros pontos para serem vistos, como as interseções, rampas e alças de ligação. E sempre lembrando que contamos com o comportamento do motorista para esse sucesso”.

O Hoje em Dia entrou em contato com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), mas não obteve retorno até o fechamento desta edição.

Obra
O projeto da área de escape foi elaborado pela BHTrans. A construção será feita 500 metros antes da rua Moisés Kalil, usada como alça de acesso ao bairro Buritis, na região Oeste. O projeto da BHTrans estudou três possíveis locais. A discussão sobre a área de escape ocorre desde 2017. Com a aprovação, o projeto deve começar no mês que vem. A intervenção deve demorar 90 dias.

Leia mais:
Moradores de cidade mineira vão participar de ensaio clínico da ButanVac
Zema isenta Estado e culpa governo federal por alta nos combustíveis
'Tem que todo mundo comprar fuzil', diz Bolsonaro