Apesar de ter acertado 35 questões dentre as 45 de matemática na prova do Enem, o estudante Vítor Brumano Andrade Cardinali, de 19 anos, do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Viçosa (UFV), tirou 368 pontos na disciplina, apenas alguns pontos a mais do a que menor nota em matemática divulgada pelo Inep, que é 359. Os resultados do Exame foram divulgados nesta sexta-feira (17).

"Deveria ter tirado mais de 700 com facilidade. Cerca de 50 colegas tiveram problemas com a nota de matemática e ciências da natureza, assim como eu. E são pessoas que acertaram a maior parte das questões, coisa de 39 das 45 questões, e com notas de 370 pontos", explica. 

Prova

Como ele, outras centenas de estudantes reclamam da discrepância entre o número de acertos na prova e a pontuação obtida. Foram criados vários grupos no WhatsApp para os candidatos discutirem o que fazer sobre o suposto erro de correção da prova do Enem, e o Instagram do grêmio do Colégio já reúne mais de 4 mil comentários somente na noite desta sexta-feira (17).

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nesta sexta-feira (17) por volta das 8:30, as notas dos candidatos do ENEM foram divulgadas pelo INEP e diversos alunos relataram erros nas notas, não só em Viçosa como também em vários outros locais. Os participantes que fizeram a prova no PVB, especialmente, relatam uma grande discrepância entre as notas e a quantidade de acertos em cada área do conhecimento. Alguns alunos alegam diferenças de cerca de 350 pontos da nota que deveria ter sido obtida. Um grupo foi criado com o intuito de reunir todos que consideraram as notas injustas e, até o momento da publicação, já possui mais de 80 casos relatados somente na cidade de Viçosa, em menos de cinco horas. Mais de 60 estudantes obtiveram notas em torno de 300 nas áreas de matemática e naturezas, mesmo acertando mais de 35 questoes nessas provas. Essa nota seria adequada caso o número de acertos fosse em torno de 5. A média final gira em torno de absurdos 400 pontos para pessoas que acertaram mais de 140 das 180 questões. A falta de comprometimento do governo com um exame tão sério como o Enem e com a educação em geral é de se repudiar. Os órgãos responsáveis ainda não se pronunciaram sobre o ocorrido. Os estudantes se mobilizaram para tentar sanar o problema, se você também acha que foi afetado, entre em contato conosco imediatamente! #enem #enem2019 #notas #resultadoenem2019 #ufv #vicosa

Uma publicação compartilhada por Grêmio MobilizARTE (@gremiocoluni) em

No Twitter, a hashtag #ErronoEnem é o assunto mais comentado no Brasil na noite desta sexta.

 Ainda segundo Vítor, em contato com os canais de comunicação do Inep, a primeira resposta que recebeu é de que se trata da metodologia de correção adotada no Enem chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI) que promete driblar os chutes no exame

A metodologia funciona da seguinte forma: cada questão tem um "peso", sendo determinada como fácil, média ou difícil. Se o candidato acerta uma questão difícil e erra uma fácil, o sistema entende que ele "chutou", então a nota acaba sendo menor do que a de um candidato que acertou uma questão fácil e errou uma difícil. 

Mas Vítor contesta essa versão. "Mas se duas pessoas acertaram 20 questões em matemática das 45, elas provavelmente terão notas bem diferentes, porque depende das questões que elas acertaram, e não da quantidade. Não faz sentido a justificativa ser o TRI, porque pra me dar a nota que me deu, eu teria que ter acertado umas cinco questões somente". 

Após diversas solicitações ao Inep, Vitor e outros estudantes, por fim, receberam como resposta que o pedido deles iria para uma análise técnica. Procurado pela reportagem, o Ministério da Educação (MEC) ainda não se posicionou sobre o ocorrido.  

Leia mais:

Sisu será aberto na terça-feira com a oferta de mais de 237 mil vagas em universidades públicas
Nota mil: Minas lidera a pontuação máxima na redação do Enem
Enem 2019 foi o “melhor de todos os tempos”, diz ministro