O Governo de Minas Gerais vai ampliar a rede de testes para o novo coronavírus. Único laboratório público em Minas Gerais, a Fundação Ezequiel Dias (Funed) anunciou nesta quinta-feira (2), hanilitação de 19 laboratórios aptos a realizarem o diagnóstico para identificação da Covid-19. A previsão é que sejam processadas, por dia, 1.800 amostras.

As análises vão subsidiar os trabalhos da força-tarefa e o monitoramento efetivo da circulação do vírus. “Com uma maior celeridade no diagnóstico dos exames, é possível, por exemplo, tomar decisões em tempo oportuno, que venham contribuir para mitigar os efeitos da pandemia em nosso estado”, explica o vice-presidente da Funed, Rodrigo Leite.

Os exames também serão realizados em Viçosa e Rio Paranaíba, pela Universidade Federal de Viçosa (UFV); em Diamantina, pela Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM); em Montes Claros, pela Unimontes; em Ipatinga, pelo Hospital Márcio Cunha, da Fundação São Francisco Xavier; em Sete Lagoas, pelo Laboratório Santa Lúcia; em Lagoa Santa, pelo Loci Genética Laboratorial e em Pedro Leopoldo, pelo Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária (Mapa).

Em Belo Horizonte, além da Funed, os exames também serão realizados pelos laboratórios da Fundação Hemominas, da FioCruz Minas, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), do São Marcos Saúde e Medicina Diagnóstica e do Simile Instituto de Imunologia Aplicada.

O método para a realização dos exames será o RT-PCR, que identifica o material genético,no caso o RNA do vírus, presente na amostra.Essa técnica é a indicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e é baseada no princípio da reação em cadeia da polimerase (PCR) para identificar o material genético dos vírus.

Laboratórios parceiros e colaboradores

A Funed habilitou os laboratórios em duas categorias, que são os parceiros e os colaboradores. “Os parceiros trabalharão de forma integrada com os laboratórios da Fundação, com fluxo contínuo de insumos, reagentes, equipamentos, processos e de profissionais, ou seja, serão como uma extensão da própria Funed”, pondera Marluce Oliveira, diretora do Laboratório Central de Saúde Pública da Funed. Já os colaboradores, “terão mais autonomia e serão responsáveis por todas as fases do exame, desde o recebimento da amostra até a liberação do resultado no sistema”, complementou. Confira aqui os laboratórios habilitados.

Até o dia 30 de março, a Funed já havia recebido 5.956 amostras para realizar análises, sendo que 2.100 amostras já foram analisadas e 3.856 amostras estavam em processo. A priorização dos exames é realizada a partir da solicitação dos Centros de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) estadual e municipal, assim como por gestores da saúde pública. São priorizados, por exemplo, os casos graves com internação em CTI/UTI e os profissionais de saúde.

Kits exames

Os kits para o diagnóstico molecular estão sendo regularmente fornecidos pelo Ministério da Saúde em quantidade suficiente para atender a capacidade produtiva da Funed, que hoje é de liberação de aproximadamente 400 exames ao dia. Já os kits de coleta naso-orofaringe são disponibilizados pela Funed para todas as unidades de saúde responsáveis pelas coletas, mediante solicitação encaminhada por e-mail, seguindo fluxo já estabelecido para outras infecções causadas por vírus respiratórios. A Funed vem liberando normalmente os kits e, até o momento, não há falta dos mesmos para entregas.

Números em Minas

O número de mortos em Minas Gerais por Covid-19 foi revisto para baixo nesta quinta-feira (2) pela Secretaria de Estado de Saúde, que havia divulgado seis óbitos confirmados. O secretário-adjunto de Saúde, Marcelo Cabral Tavares, corrigiu esse número para quatro.

Permanecem 370 casos da Covid-19 confirmados, um aumento de 56 casos em um dia e 39.084 casos suspeitos. Em Belo Horizonte, o número subiu de 188 para 210 casos confirmados em um dia.