Guardas municipais que trabalham no Parque Municipal Américo Renné Giannetti, no Centro de BH, estão sendo treinados para atuarem em ocorrências de maus-tratos a animais que vivem na área verde. A informação foi passada no início da noite deste sábado pela Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica ao Hoje em Dia. 

A medida surge em meio a denúncias de que gatos estão sendo torturados até a morte no espaço. Neste sábado (17), a reportagem foi informada de que dois felinos foram encontrados sem vida, em jardins do parque, com diversos machucados pelo corpo. 

Esta é a segunda denúncia sobre o assunto publicada pelo Hoje em Dia em menos de dez dias. Em 9 de agosto, o jornal já havia noticiado que três gatos foram encontrados mortos no espaço. Além dos relatos dos casos dessa sexta-feira, outros felinos teriam sido vistos na mesma situação, durante a semana.

O problema será pauta de uma audiência pública, na Câmara Municipal de BH, em 20 de agosto. A educadora ambiental Giovana Fraga, de 45 anos, lamentou o problema e cobrou providências da prefeitura de Belo Horizonte. 

“Precisa de um monitoramento, um número maior guardas municipais. Lá, à noite, se torna um território de drogados e andarilhos. Será que vai precisar alguém morrer lá para que tomem providências?”, questionou a mulher. “Precisamos saber quem está fazendo isto. Todos (os gatos) têm a cabeça esmigalhada”, acrescentou a educadora.

Prefeitura vai treinar guardas

De acordo com a Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica, o Executivo municipal está ciente dos maus-tratos aos animais no Parque Municipal. A pasta informou que estão ocorrendo reuniões periódicas, com a Guarda Municipal, para treinar o Grupamento de Patrulha Ambiental da corporação, em como atuar nas ocorrências de maus-tratos a animais. 

Ainda conforme a fundação, os trabalhos de proteção aos animais serão intensificados. Encontros com a secretaria de Meio Ambiente também serão pautados. 

Leia mais: 
Gatos são encontrados mortos no Parque Municipal de BH com sinais de violência