O Bolsa Merenda de agosto, benefício disponibilizado para as famílias de estudantes carentes da rede estadual em Minas, durante a pandemia do novo coronavírus, ainda não foi creditado pelo governo. A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedese) admitiu o atraso e, em nota, informou que não há uma data definida para o repasse.

Nesta semana o governador Romeu Zema (Novo) informou que o auxílio de R$ 50 foi ampliado e prorrogado por mais dois meses. E, por conta disso, foi preciso fazer a atualização de dados cadastrais. "Assim que for definida, a data do depósito será amplamente divulgada", enfatizou a Sedese.

A secretaria garantiu que 87% das famílias que têm direito ao Bolsa Merenda já receberam as quatro parcelas do benefício. O auxílio está sendo repassado em substituição a alimentação escolar, uma vez que as aulas estão suspensas desde março.

Desde abril, o capital está sendo transferido para alunos que atendem ao critério de extrema pobreza - de grupos com renda mensal de até R$ 89 por pessoa. Com a ampliação do benefício, a partir de agora o valor também será entregue a estudantes que estejam na faixa de pobreza – ou seja, famílias com renda per capita de R$ 89 a R$ 158. 

No total, o programa beneficiará 466 mil alunos da rede estadual – que tem cerca de um milhão de estudantes matriculados. 

Como se inscrever 

Para saber se tem direito a receber o Bolsa Merenda, os responsáveis por alunos da rede estadual devem fazer uma consulta neste site do programa ou pelo aplicativo MG App. A consulta será feita pelo CPF. 

Leia mais:
Governo de Minas amplia público atendido pelo Bolsa Merenda; veja quem pode receber
Cestas básicas distribuídas pelo Governo de Minas estão disponíveis para retirada
Benefício do Bolsa Merenda pode ser consultado pelo celular: saiba como