O governo de Minas vai investir RS 10 milhões em ações de marketing para divulgar e promover o potencial turístico em todo o Estado. O edital foi publicado no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (24). De acordo com o Governo, a ação pioneira no Brasil está incluída no programa Reviva Turismo. O edital e os anexos estão disponíveis neste link

Segundo o governo, a expectativa é "aumentar o número de visitantes, gerando mais emprego, renda e desenvolvimento socioeconômico."

As incrições para o edital ficarão abertas entre os dias 25 de outubro e 8 de novembro deste ano. Está previsto o investimento em 60 projetos, sendo 20 de apoio à comercialização (R$ 80 mil para cada) e outros 40 projetos de promoção (R$ 210 mil para cada). De acordo com o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, o programa Reviva Turismo representa o fortalecimento da marca Minas Gerais como um destino turístico.

"O estado vem registrando o dobro da média nacional em crescimento no turismo. Esse edital vem para potencializar ainda mais essa posição, vai injetar dinheiro na economia do turismo, para o mercado, que efetivamente comercializa nossos destinos e produtos. A ideia é que esse investimento gere mais renda, mais empregos e retorne de forma exponencial para o Estado e para o mercado, em movimentos cíclicos de retomada econômica", explica.

Comercialização e promoção

A expectativa do Governo é que sejam criadas ações, como fantours, para apoiar a comercialização no Estado. Isso inclui encontros de negócios, treinamentos e roteiros turísticos, que seriam, ainda, criados, produzidos e divulgados online.

O programa Reviva Turismo também prevê conteúdos promocionais, material em audiovisual e ações de publicidade exclusivamente para o turismo mineiro. Os interessados no edital "devem ser organizações sociais que trabalham com turismo e possuam produtos turísticos já estruturados. Todos os projetos devem atuar com produtos turísticos mineiros com foco no turismo cultural, turismo de natureza, turismo de aventura, turismo gastronômico, turismo rural, turismo de negócios e eventos e cicloturismo", explicou o Governo. 

Leia mais:
BH registra primeira morte por variante Delta do coronavírus; Minas tem nove óbitos
BH não vai exigir passaporte da vacina, diz secretário Jackson Machado