Um homem de 35 anos, suspeito de burlar o sistema para receber três doses de vacinas contra a Covid-19 em cidades da Zona da Mata, em Minas Gerais, foi indiciado por estelionato. Conforme informou a Polícia Civil nesta quarta-feira (22), ele teria tomado duas doses de CoronaVac em Juiz de Fora, na Zona da Mata, e, posteriormente, uma da Pfizer no município de Chácara, na mesma região.

O caso foi investigado pela corporação após solicitação do Ministério Público, que tomou conhecimento do fato por meio da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Chácara. 

De acordo com a delegada Ione Barbosa, a investigação foi concluída depois que testemunhas, assim como o suspeito, foram ouvidas. “Esse tipo de conduta há obtenção de vantagem ilícita, pois a vacina é rara, cara e de propriedade do Poder Público, que adquiriu com a finalidade de imunizar a população, seguindo o Programa Nacional de Imunização”, disse, considerando, ainda, que a configuração do crime ocorreu quando o homem, “mediante meio fraudulento”, burlou o sistema de vacinação tomando a terceira dose. 

Ainda segundo a delegada, a pena prevista para o crime é de um a cinco anos de prisão, com acréscimo por ser praticado contra o Poder Público, além de multa. 

Leia mais:

Fiocruz desenvolve teste molecular para detectar hanseníase
Butantan começa a negociar doses da CoronaVac com cinco estados
BH é alvo de operação da PF contra grupo suspeito de movimentar R$ 250 mi em lavagem de dinheiro