Um homem de 60 anos foi preso na tarde desta terça-feira (2), após cometer injúria racial e insultar funcionários de uma loja da operadora Vivo que fica na Savassi, região Centro-Sul de Belo Horizonte. Um cliente também foi ofendido.

Os policiais chegaram ao endereço na praça Diogo de Vasconcelos após o homem ter se exaltado com uma das funcionárias por não ter encontrado panfletos com informações sobre valores de planos de telefone. 

De acordo com boletim de ocorrência, ele ficou insatisfeito com atendimento e segundo testemunhas, ele teria gritado com uma atendente, chamando a mulher de “lixo” e “sapatão”. Além disso ele teria dito que ela recebia “um salário de merda”. 

Um outro funcionário da loja teria pedido ao homem que parasse com os xingamentos, mas o homem também o agrediu e teria dito que ele era “negrinho e veadinho”. Ainda de acordo com testemunhas, o autor teria gritado que na loja só trabalhavam “gays e sapatão”. 

Um cliente tentou defender os funcionários e também foi xingado de “macaco”. 

O suspeito foi encaminhado para a Central de Flagrantes II, no bairro Floresta, região Leste da capital. O flagrante por injúria racial e ameaça foi confirmado e o homem foi encaminhado ao sistema prisional. 

Por meio de nota, a Vivo informou que repudia qualquer tipo de tratamento pejorativo ou preconceituoso e que os colaboradores envolvidos no lamentável ocorrido foram à delegacia para registrar um boletim de ocorrência.

Leia mais:

Suspeito de agredir menino autista comprova esquizofrenia e sai sob fiança de R$ 10 mil
'Já me mandaram colocar esparadrapo na boca dele', diz mãe de menino autista agredido em shopping
Médica mineira 'receita' youtubers e intelectuais negros para paciente com depressão