Pelo menos 16 parques e serras de Minas Gerais são consumidos por incêndios nesta sexta-feira (20). Segundo a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), são 22 focos de fogo, em alguns casos mais de um foco em uma mesma reserva.

Em setembro, já foram registrados 179 focos no Estado. No ano, o número salta para 512, sendo 313 em unidades de conservação (UCs) e 199 no entorno dessas áreas. Em todo o ano passado, 740 ocorrências foram notificadas. As áreas queimadas pelas chamas ainda não foram contabilizadas pela pasta.

Susto

Nesta semana, duas imagens chocaram os moradores da Grande BH. Na quarta-feira (18), a capital mineira foi encoberta por uma espessa névoa de fumaça. O fenômeno ocorreu devido a soma do tempo seco e incêndios no Morro do Chapéu, em Nova Lima, e em outras áreas da região metropolitana.

Na quinta-feira (19), altas labaredas na Serra da Moeda, no município de mesmo nome, na região Central, cercaram carros que passavam pela LMG-825. As imagens impressionaram e viralizaram nas redes sociais. 

O Parque do Biribiri, em Diamantina, na região Central de Minas, está queimando desde o dia 30 de agosto. Na Serra da Piedade, em Sabará, na Grande BH, cerca de 20 brigadistas trabalham desde de domingo (15) para controlar as chamas em torno da unidade de conservação.

O fogo que consumia o Parque do Rola Moça, em Ibirité, na última quarta-feira (18), retornou nesta sexta. A Semad informou que disponibilizou quatro aviões air tractor para apoiar os combates no local e também na Serra da Moeda.

Confira as áreas de conservação que estão em chamas nesta sexta-feira:

- Serra do Rola-Moça – Grande BH - foco iniciado nesta sexta-feira;

- Serra da Moeda - Moeda - um foco iniciado no dia 18 e dois no dia 19;

- Serra da Piedade - Sabará - foco iniciado no dia 15;

- Serra da Boa Esperança - Boa Esperança - foco iniciado no dia 18;

- Serra do Sabonetal - Itacarambi - foco iniciado o dia 18;

- Serra Negra da Mantiqueira - Lima Duarte - foco iniciado no dia 18;

- Serra do Intendente – Conceição do Mato Dentro - um foco iniciado no dia 18 e outro no dia 19;

- Serra do Papagaio – Aiuruoca - foco iniciado no dia 19;

- Serra do Ouro Branco – Ouro Branco - foco iniciado no dia 19;

- Parque do Biribiri - Diamantina - um foco iniciado no dia 30 de agosto e outro no dia 16 de setembro;

- Parque Lapa Grande - Montes Claros - foco iniciado no dia 16;

- Parque Pau Furado - Uberlândia - foco iniciado no dia 16;

- Parque Serra do Cabral - Joaquim Felício - um foco iniciado no dia 18 e outro no dia 19;

- Cachoeira das Andorinhas - Ouro Preto - foco iniciado no dia 19;

- Refúgios de Vida Silvestres (RVS) Macaúbas Santa Luzia - um foco iniciado no dia 15 e um no dia 18;

- Refúgios de Vida Silvestres (RVS) Macaúbas - Lagoa Santa - foco iniciado o dia 18;

Estatística

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em apenas uma semana, mais que triplicaram os focos de incêndio em Minas. De 213, a quantidade subiu para 651. 

Historicamente, o mês de setembro é o que mais registra incêndios florestais no Brasil. Uma das explicações é o tempo seco. Diversos estados, incluindo Minas Gerais, registram, entre agosto e outubro, o período de estiagem com as menores taxas de umidade relativa do ar.

Mas, apesar das condições naturais serem favoráveis à ocorrência e propagação de queimadas, na maioria das ocorrências, o fogo é provocado pela ação humana.

Leia mais:
Incêndio que impressionou internautas continua a consumir a Serra da Moeda
Fogo triplica em Minas e sufoco só aumenta em BH
Mais dois incêndios consomem vegetação em pontos da Grande BH e Região Central; veja as imagens