O inquérito que apura um crime de injúria racial contra um porteiro em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, deve ser concluído em 30 dias. Em 24 de dezembro, conforme ocorrência da Polícia Militar, uma mulher de 31 anos foi presa em um prédio no bairro Santa Maria após ter chamado o porteiro do prédio onde mora de "macaco, safado e fedorento". Ela foi solta na quarta-feira (25), após pagar uma fiança de R$ 2 mil.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, por causa do feriado de Natal, o inquérito é conduzido por um delegado de plantão, mas, na próxima semana, o titular vai ouvir testemunhas e recolher provas.

Conforme os militares, a mãe da moradora chegou ao local para visitar a filha e o interfone estava com defeito. Orientado pela síndica a pedir os convidados a ligarem para o morador descer para recebê-los, o porteiro, de 43 anos, repassou a orientação. A mãe da moradora, então, ligou para filha. Ela teria descido nervosa, xingando o porteiro de "macaco e fedorento" e dizendo que não "ia ficar descendo toda hora para receber as pessoas". 

Leia mais:

Homem que chamou motorista de ônibus de 'macaco' recebe liberdade provisória após pagar R$ 5 mil
Durante briga de trânsito no Centro de BH, homem chama motorista de ônibus de macaco