A possibilidade de as faculdades abrirem as portas para receber estudantes da educação básica deve impactar não só no aprendizado de crianças e adolescentes, mas também no futuro profissional desses jovens. O acesso facilitado às instalações, como laboratórios, visa a apresentar a rotina de algumas carreiras, além de explorar habilidades e aptidões. Com o contato direto, a expectativa é a de que a escolha da graduação seja mais assertiva.

A proposta apresentada na última quinta-feira pelo governo federal é voltada para quem está matriculado nos ensinos médio e do 6º ao 9º ano do fundamental. A iniciativa, chamada “Educação em Prática”, é parte da implantação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). 

Professores também estarão disponíveis. Segundo o Ministério da Educação (MEC), estudantes dos cursos de Pedagogia e licenciaturas das instituições que aderirem ao programa poderão fazer estágio supervisionado nas escolas das redes públicas que se tornarem parceiras. As faculdades ainda receberão um bônus nas avaliações realizadas pela pasta.

Em prática

Coordenador de Extensão das Faculdades Kennedy e Promove, Kleber Lorenzini considera positivo o novo programa do MEC. “Conhecer a própria vocação não é fácil. É por isso que a proximidade com a formação profissional é tão importante”.

kennedy promove
Oficinas de música são realizadas pelas Faculdades Promove e Kennedy; crianças e adolescentes que participam do projeto planejam criar um bloco para desfilar no Carnaval de Belo Horizonte

O gestor diz que a troca de experiências é satisfatória em todos os graus de ensino. “Os universitários têm a oportunidade de orientar, através de monitorias e estágios”, complementa.

As unidades educacionais já anteciparam essa integração. Há um ano, as instituições recebem, semanalmente, 27 crianças e adolescentes da Escola Municipal Geraldo Teixeira da Costa, em Venda Nova, para oficinas de música. “Eles já aprenderam a manusear instrumentos de percussão. Agora, estão organizando o bloco Meninos de Beagá e pretendem desfilar no Carnaval”, conta o responsável pelo projeto, Alex Ian Psarski Cabral.

Novidade

Em 2020, três unidades do Colégio M2 – rede já consolidada no mercado educacional, que usa o material didático do sistema Bernoulli – vão funcionar nas instalações das Faculdades Kennedy e Promove.

Conforme o fundador do M2 e presidente da Federação dos Estabelecimentos de Ensino de Minas Gerais, Emiro Barbini, o planejamento estratégico e pedagógico traçado para a novidade está no caminho certo. “É um sinal de que é viável, funcional e enriquecedor para o aprendizado”, avalia o educador.