O prefeito Alexandre Kalil anunciou, no fim da tarde desta quarta-feira (6), que fechará Belo Horizonte, mantendo apenas os serviços essenciais em funcionamento. A decisão começa a valer a partir da próxima segunda (11) e foi tomada após mais uma reunião do Comitê de Enfrentamento à Epidemia de Covid-19 na cidade. Um decreto será publicado nesta sexta-feira (8) com mais detalhes sobre as regras que serão tomadas.

Segundo o representante do Executivo, a medida foi definida diante do aumento do número de infectados pela doença na capital mineira, com alto índice de ocupação de leitos de enfermarias e UTIs. No último dia 30 de dezembro, Kalil já havia avisado que fecharia a cidade caso os índices não regredissem. “Nós chegamos no limite da Covid-19. Nós avisamos, tentamos avisar, tentamos manter mais quase dez dias a cidade aberta, quando os números eram perigosos, mas tínhamos pelo menos uma expectativa de responsabilidade. Nós chegamos nos três velocímetros no vermelho. Sexta-feira soltaremos um decreto, voltando a cidade à estaca zero”, disse Kalil em um vídeo publicado nas redes sociais (confira abaixo)

Durante o comunicado, por mais de uma vez, o prefeito da capital mineira pediu desculpas à população e disse não querer "alarmar" a cidade com o comunicado. “São números impressionantes, houve uma importação de doença surpreendente. Temos casos em hospitais particulares de Belo Horizonte de famílias inteiras, que passaram Natal juntos, infectados e internados. Então, nada mais triste para mim do que vir aqui falar hoje, com muita tristeza e muito abafado. Não queremos alarmar, mas é um direito do comerciante saber que segunda a cidade estará fechada", afirmou.

Além dos serviços essenciais, como supermercados e farmácias, Kalil anunciou que praças públicas e o zoológico, com agendamento, poderão permanecer abertos. “Eu, mais uma vez, peço desculpa, mas não tive outra alternativa. Estamos a dias da vacina e do fim dessa tragédia. Repito, me desculpem, mas governar não é agradar. Fui orientado, tivemos uma longa reunião e determinamos que a cidade estará com os serviços essenciais abertos e com todo o resto fechado”, avaliou.

"Estamos chegando na praia"

Assim como tem frisado nas últimas coletivas de imprensa, Kalil voltou a falar que Belo Horizonte está preparada para receber a vacina contra a Covid-19. Nesta quarta, ele aproveitou para pedir que os belo-horizontinos se atentem, mais uma vez, à gravidade da doença.

“Nós estamos chegando na praia. A vacina está chegando, nós estamos preparados para vacinar, temos estrutura, temos agulha, estamos quase acabando com isso, mas parece que ninguém está entendendo a gravidade dessa doença”, concluiu.  

Ao fim do comunicado, Kalil agradeceu e desabafou. “Que Deus nos dê mais um pouco de paciência para essa tragédia”, finalizou.