Após a Câmara Municipal aprovar, em 1º turno, nessa terça-feira (10), o projeto de lei que autoriza um empréstimo de R$ 350 milhões para uso em prevenção de inundações nos córregos Vilarinho, do Nado e Isidoro, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, afirmou que já tem um projeto completo e com recursos garantidos pela Caixa Econômica Federal de mais de R$ 150 milhões para a prevenção às enchentes também na avenida Bernardo Vasconcelos. 

Segundo o administrador municipal, a capital tem nove pontos críticos de 'ataque' para se trabalhar, que solucionado-os não haverá mais problemas com enchentes na cidade em pouco mais de uma década. "Se nós deixarmos resolvidos dois, que durante 40 anos mataram gente em BH, e o próximo prefeito deixar mais dois e o outro deixar mais dois, em 12 anos BH não inunda mais”, disse Kalil em entrevista para a Record TV.

Segundo ele, a prefeitura tem planos para esperar a chuva "de uma forma muito diferente do que aconteceu na Vilarinho em outros anos". As declarações sobre a preparação para o início das chuvas foram dadas pelo prefeito à Record TV Minas. O período chuvoso está previsto para iniciar em outubro. 

Em novembro do ano passado, mãe e filha morreram afogadas depois que o carro em que estavam foi arrastado pela avenida Vilarinho, em Venda Nova, até a linha férrea do metrô, na parte inferior do Shopping Estação, e ficou prensado entre outros veículos. Além delas, uma adolescente de 16 anos morreu após cair em um bueiro na rua Doutor Álvaro Camargos, também em Venda Nova, e ser arrastada pela enxurrada.  

"Me reuni ontem com o Valadão e o coronel Valdir da Defesa Civil e nós já estamos com um plano muito diferente do que aconteceu com aquelas tragédias da Vilarinho", afirmou. Josué Valadão é Secretário Municipal de Obras e Infraestrutura. 

Para agilizar o processo, Kalil explicou que a prefeitura começará, neste mês, uma sondagem e iniciará uma licitação em módulo mais ágil (Regime Diferenciado de Contratações Públicas - RDC). "Este início de obra para este ano é muito difícil, mas nós vamos mitigar um pouquinho o problema", disse Kalil. 
 

Leia também:
Kalil, sobre pressão no Cruzeiro: 'dirigir futebol é coisa para quem tem coragem'
Kalil destaca esforço para trazer a final da Libertadores de 2020 para Belo Horizonte