O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), atacou os vereadores da Câmara Municipal que votaram contra o empréstimo de R$ 900 milhões para obras de saneamento e urbanização na região da avenida Vilarinho, em Venda Nova. Em entrevista à Rádio Itatiaia, nesta terça-feira (10), ele os chamou de “boçais”. 

“Aqueles boçais que estavam lá, aqueles politiqueiros, acharam que eu ia usar o dinheiro. Isso é de uma inocência absoluta, de uma falta de conhecimento de obra pública. Provavelmente nem no meu mandando, nem no próximo, aquela obra vai sair”, afirmou o chefe do Executivo da capital.

Anteriormente, o mandatário havia sido questionado sobre o Rodoanel Metropolitano. Segundo Kalil, as obras só devem ficar prontas daqui 15 anos, muito tempo depois do previsto, que é de quatro anos a partir de 2023.

Em resposta, o gestor belo-horizontino exemplificou com o Projeto de Lei rejeitado pela CMBH. “Eles são (boçais), e não tiro uma palavra do que eu disse. Porque fazer política com miséria alheia é igual ganhar voto em cima de caixão”, acrescentou.

Ao Hoje em Dia, a vereadora Marcela Trópia (Novo), uma das opositoras à gestão, afirmou que a declaração não surpreende e “chega a ser pouco estratégica”, já que a Casa está discutindo o auxílio emergencial proposto pelo município.

“A Câmara não vai tomar decisões baseadas somente em aspectos políticos, mas torna o diálogo mais difícil com a prefeitura quando o chefe do Executivo joga uma bomba como essa, desrespeitando os vereadores”, disse.

Além disso, ela justificou o motivo pelo qual o grupo vetou a concessão da verba à administração. “Já víamos outras obras sendo feitas na região e não conseguimos entender qual parte não tinha sido cumprida para a necessidade de mais dinheiro. Faltou transparência da prefeitura”, completou.

Com 27 votos a favor e 12 contra, o texto foi rejeitado em segundo turno, em votação realizada em março deste ano. Eram necessários 28 votos para a aprovação.

Leia mais:

‘Não sai nem daqui 15 anos’, diz prefeito da capital Alexandre Kalil sobre Rodoanel da Grande BH
‘Medidas duras, mas orientadas por profissionais de primeira’, diz Kalil sobre condução da pandemia