O Hoje em Dia lança hoje a campanha “Linha Segura”, de conscientização e mobilização para evitar que o cerol destrua vidas e sonhos. Principal medida para evitar novas tragédias, a denúncia do uso ou comércio do material cortante pode ser feita de forma anônima, pelo telefone 181.

Até esta quarta-feira (31), antes mesmo do início da temporada de ventos – que vai de agosto a novembro –, o Hospital de Pronto-Socorro (HPS) João XXIII tinha atendido 23 vítimas de ferimentos provocados por cerol ou linha chilena. 

Casos graves também foram registrados no Estado. Uma criança de Visconde do Rio Branco, na Zona de Mata, e um adolescente de Betim, na Grande BH, tiveram uma das pernas amputadas.

Desde 2002, a utilização e a venda das linhas cortantes é proibida por lei. Quem for flagrado cometendo a irregularidade está sujeito a multas que variam de R$ 100 a R$ 1.500. Se o uso resultar em prejuízos patrimoniais, ferimentos ou morte, o infrator pode parar atrás das grades.

A fiscalização é responsabilidade da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal. Entretanto, a principal dificuldade enfrentada é a identificação dos autores. “As linhas que fazem vítimas, normalmente, são aquelas que foram perdidas por quem soltava. É quase impossível localizar e pegar em flagrante”, diz o tenente Herman Ameno, dos Bombeiros.

Neste ano, 23 pessoas feridas por cerol ou linha chilena já foram atendidas no HPS João XXIII, em BH

Como denunciar

Além do Disque Denúncia 181, as denúncias podem ser feitas pelo 190 da PM. “A pessoa pode, inclusive, acenar para uma viatura e mostrar o local. Mas, se não quiser se identificar por medo, por conhecer o denunciado ou qualquer outra razão, o 181 é a melhor opção”, explica o major da Polícia Militar Flávio Santiago.

Guarda Municipal 

Em BH, outro meio de denúncia é o telefone da Guarda Municipal, o 153. Nesta semana, a prefeitura anunciou que vai intensificar a fiscalização.

“Quem for flagrado usando este tipo de material e não o entregar espontaneamente será conduzido, por um agente, a uma unidade policial. As abordagens, mais frequentes aos fins de semana, são realizadas em locais previamente mapeados, tendo como base a alta incidência de registros”, informou, em nota.

Campanha Linha Segura

Disque Denúncia: 181
Polícia Militar: 190
Guarda Municipal: 153

Leia Mais:

Temporada de pipas exige cuidados, além do cerol, com brincadeira perto da rede elétrica

Garoto que teve perna amputada inicia fisioterapia e poderá andar com prótese em setembro

Enfermeiro é preso suspeito de vender linhas chilenas no Sul de Minas

Cerol e linha chilena dilaceram sonhos e demandam combate urgente