Um dia após o chamado do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), para que o comércio retomasse as atividades em todo o país, a grande maioria das lojas da Savassi, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, permanece fechada nesta quarta-feira (25).  

Já na sexta-feira passada (20), primeiro dia de validade do decreto municipal que determinou o fechamento de empreendimentos comerciais, diversos estabelecimentos, como lojas, salões de beleza, academias, restaurantes e lanchonetes, fecharam as portas.

A medida radical foi tomada pela Prefeitura de BH como forma de frear o avanço da proliferação do novo coronavírus e é baseada na experiência de cidades estrangeiras, onde a suspensão do funcionamento de comércios e o isolamento social ajudaram a barrar o crescimento do número de novos casos da Covid-19.

Nesta quarta-feira, a reportagem de Hoje em Dia percorreu as principais ruas da Savassi, região conhecida pela grande quantidade de lojas, e revisitou lojas como a Elmo, Claro, TIM, Contempo e Contém 1g. A constatação é de que esses e outros comerciantes, apesar de já estimarem os altos prejuízos que virão com a interrupção do funcionamento, estão acatando a norma municipal.

Também nesta quarta, Alexandre Kalil, prefeito de BH, reafirmou a importância de ficar em casa e criticou o pronunciamento do presidente da República.

Faixa de apoio 

Um dos comércios visitados não só continua fechado, como decidiu incentivar as pessoas a manterem-se em isolamento. Trata-se de um cartaz da rede franqueada Contém 1g, que pede aos clientes que fiquem em casa. Veja abaixo: