Lojas, academias, salões de beleza, restaurantes e lanchonetes fechados. Esse é o cenário na “nova” Belo Horizonte, que, a partir desta sexta-feira (20), adotou medidas radicais para conter a proliferação do novo coronavírus. 

Por determinação do Executivo municipal,  vários centros comerciais tiveram os alvarás provisoriamente suspensos e estão impedidos de funcionar a partir desta sexta-feira (20). A decisão, conforme o prefeito Alexandre Kalil, foi adotada para impedir a aglomeração de pessoas e forçar um isolamento social. 

Na Savassi, região Centro-Sul da metrópole e um dos principais polos comerciais da cidade, a medida foi seguida à risca. Nenhum estabelecimento - com exceção de farmácias e supermercados, está funcionando nesta manhã. Na área, o movimento se restringe praticamente a carros e ônibus. O fluxo de pessoas é pequeno. 

Ao longo do dia, outros espaços também vão ficar fechados. Caso dos shopping centers, cinemas, teatros, parques, boates, casas de shows, dentre outros.

A suspensão, por tempo indeterminado, não se aplica aos supermercados, farmácias, laboratórios, clínicas, hospitais, além de outros e serviços de saúde. 

Agentes da PBH vão fiscalizar o cumprimento do decreto e a Polícia Militar pode ser acionada para auxiliar na vistoria. 

Isolamento

A decisão drástica de tentar isolar BH tem motivos. No mundo, a Covid-19 já matou mais de 10 mil pessoas. Até o momento, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 224 mil pessoas foram infectadas pelo vírus. 

Em Minas são 29 confirmações, sendo 18 na capital mineira - que registra a contaminação voluntária da doença. No Brasil, sete óbitos foram confirmados

Desculpas

Kalil pediu desculpas aos empresários, que vão sofrer sérios prejuízos financeiros com o “exílio” da população e o fechamento dos comércios. Mas alertou que é preciso salvar vidas. 

Para auxiliar o setor, o prefeito informou que vai adiar a cobrança de tributos dos estabelecimentos que vão ficar fechados. Segundo Kalil, são cerca de R$ 140 milhões em em diferimento fiscal e parcelamentos.

BH, que ostenta o título de capital mundial dos bares, possui cerca de 22 mil bares e restaurantes. Juntos, geram aproximadamente 130 mil postos de trabalho.

Leia mais:
Após fechar comércios de BH, Kalil anuncia adiamento de cobrança de tributos
Para reduzir contágio, Zema anuncia pacote de medidas contra pandemia do Covid-19