A prática de exercícios caiu desde o início da pandemia, em março do ano passado. Mas especialistas alertam: a falta de atividade física pode colocar em risco a saúde da população, principalmente das pessoas de grupos mais vulneráveis, como idosos, hipertensos e diabéticos.

Um estudo do periódico científico Epidemiologia e Serviços de Saúde revelou que, antes da atual crise sanitária, 30% dos homens praticavam atividade física em nível considerado suficiente. Depois, esse percentual passou para 14%. No caso das mulheres, caiu de 27,3% para 10%.

O resultado do isolamento social é o aumento do tempo em frente a telas da televisão e dos computadores, da ingestão de alimentos ultraprocessados e do crescimento do consumo de cigarros e de bebidas alcoólicas.    

O médico cardiologista Diogo Umann conversa com a repórter Maria Amélia Ávila sobre os riscos da falta da atividade física, nesta terça-feira (13), às 17h30. A live será transmitida pelo Instagram do Hoje em Dia.

Leia Mais:
É preciso desembalar menos e descascar mais alimentos, alerta endocrinologista
Acabe com a dor nas costas: aprenda 7 exercícios simples para fazer em casa e prevenir o problema
Barriga inchada? Veja como amenizar o desconforto de forma saudável e sem gastar com procedimentos