Conciliar trabalho e estudo é realidade para a maioria dos alunos de universidades e faculdades particulares em Minas. Pesquisa da Associação Brasileira de Mantenedores de Ensino Superior (Abmes) mostra que 66% deles têm emprego. Além de disciplina e planejamento para dar conta da puxada rotina, os alunos precisam contar com as próprias instituições que, cada vez mais, têm desempenhando papel fundamental no processo de formação.

A maneira como os conteúdos são transmitidos é o principal exemplo, sobretudo para quem estuda à noite. Aulas com ritmo mais dinâmico e uso constante da tecnologia são diferenciais para envolver o estudante, evitando que o cansaço bloqueie o aprendizado. 

personagem educação
Rayssa Severino, de apenas 18 anos, trabalha com eventos e cursa Cosmética e Estética; no laboratório do Promove, pratica os conhecimentos 

“Potencializa o conhecimento”, diz o coordenador psicopedagógico das Faculdades Promove e Kennedy, no Prado, região Oeste de BH, Cláudio Vieira de Lima. Nas unidades, segundo ele, além de conteúdo audiovisual e aulas em ambientes externos, há investimento em ferramentas como o Google For Education – plataforma que oferece interatividade aos docentes e discentes. “Estratégias como essas fazem com que o celular, por exemplo, seja utilizado para adquirir conhecimento, não para distrair”. 

Em Minas, 73% dos alunos estudam à noite nas instituições de ensino superior

Com uma rotina intensa, a agente de eventos Rayssa Severino, de 18 anos, concilia os estudos com as obrigações profissionais. “O que vale é a determinação e a vontade de aprender”. 

No 4° período de Cosmética e Estética, ela garante ser muito agradável estudar, mesmo após dias agitados. “Com tantas práticas em laboratório e as aulas transformadas em palestras e workshops, não tem como dispersar”.

'Tem ganhado força, dentre as mudanças educacionais, o conceito da educação continuada, o lifelong learner. Ele confirma a importância da atualização profissional e segue a premissa de que nunca é tarde para adquirir conhecimento. A graduação noturna cumpre uma função muito estratégica dentro desse conceito. Além da jornada de trabalho, o estudante, que geralmente é mais velho, constrói um planejamento de carreira e conquista o aprimoramento acadêmico e pessoal. Para além disso, a tecnologia é uma aliada muito importante. Ela é capaz de dar mais autonomia aos discentes e ajudar na gestão do aprendizado e do próprio tempo" (Sarah Vilaça, diretora do Núcleo de Inovação e Aprendizagem (Nina) das Faculdades Promove e Kennedy)

Futuro

Conforme o levantamento Education at a Glance 2018, da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a rotina puxada traz resultados. O relatório aponta que o ganho salarial aumenta duas vezes e meia com um curso superior, na comparação com quem tem apenas o ensino médio.

O publicitário Wanderson da Silva, de 38 anos, lembra que, ao terminar a graduação, também nas Faculdades Promove e Kennedy, em 2011, viu o salário triplicar. Por isso, está sempre se capacitando. “Além de melhorar o rendimento, adquirir conhecimento trouxe qualidade de vida”, Recentemente, ele terminou o mestrado e pretende iniciar, no próximo ano, a segunda qualificação.