A Educação a Distância (EaD) tem levado mais estudantes para o ensino superior em Minas. No intervalo de uma década, o número de matrículas de calouros passou de cerca de 16 mil, em 2008, para mais de 134 mil no ano passado. O aumento de 700% é bem superior, inclusive, ao crescimento nacional, de 200%. Os dados são dos censos realizados pelo Ministério da Educação (MEC), entre 2008 e 2018.

Apesar de ainda ter a maioria dos calouros, no mesmo período, a modalidade presencial vem perdendo espaço no Estado: queda de 4%. 

Conselheiro da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), o professor Enilton Ferreira Rocha diz que o resultado está atrelado à expansão dos polos, às inovações metodológicas e tecnológicas e à democratização do ensino. “Existe a missão de chegar ao trabalhador, independentemente da localidade dele, e isso está acontecendo”.

Quebra de paradigmas

Uma importante barreira também está sendo vencida ao longo dos anos: a qualidade do conhecimento adquirido nas plataformas digitais.

O acesso à informação ajudou Cleidimara Salviano, de 28 anos, a superar o medo de optar pela EaD e não conseguir emprego. Com o sonho de ser professora, há um mês ela se matriculou em Pedagogia, na Faculdades Promove. 

Com o conteúdo em mãos e uma rotina de estudos estabelecida, a doméstica comemora. “Trabalhando o dia inteiro, essa é a minha oportunidade de estudar”. Ela utiliza a plataforma para tirar dúvidas com os tutores e troca experiências com os colegas de curso. “Nem os conheço, mas ajudamos uns aos outros”.

Cenário otimista

As Faculdades Kennedy e Promove, em Belo Horizonte, se tornaram polos de EaD em um processo de expansão do Centro Universitário UniSant’Anna, de São Paulo. “Entre um semestre e outro, registramos em nossa rede um crescimento de 300%”, frisa o reitor da instituição paulista, Natanael Aleva.

Com projeções positivas, foram abertas três unidades acadêmicas na capital: Prado (região Oeste), Lourdes (Centro-Sul) e Rio Branco (Venda Nova). São ofertados 30 cursos. “Outros dez devem ser incluídos nos próximos meses”, ressalta o gestor.

O processo seletivo para as instituições está com inscrições abertas. O cadastro gratuito é feito pelo site vestibularunificado.com.br.

Ensino médio

Daqui a dois anos, a EaD não se resumirá apenas às graduações, mestrado e doutorado. Decreto publicado em 2017 também regulamenta a oferta da modalidade para o ensino médio e educação profissional técnica. 

A resolução, que começa a valer em 2021, com aplicação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), garante até 20% da carga horária do curso diurno ofertada em plataformas digitais. Nos noturnos, a margem pode chegar até 80%, no caso da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Conforme a Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), essa é uma tendência em todo o país e ganha cada vez mais expressividade e espaço nos mais diversos níveis de formação escolar.

ead educação distância

 

Leia Mais:

Matrículas na educação a distância devem superar cursos presenciais em 2023

Ensino a distância forma maioria dos professores

Saiba quais são os cursos de Educação a Distância com mais chances de emprego