Mais de 20 mil amantes de pagode estão reunidos na avenida do Contorno, altura do bairro Gutierrez, para participar do cortejo do Me Beija Que Eu Sou Pagodeiro neste domingo (24), segundo a organização do bloco. No sexto ano de desfile, o grupo trouxe em 2019 um segundo estandarte com o nome no feminino para contemplar também as fãs do ritmo. 

Com bateria, ala de dança, passistas do projeto Lá da Favelinha, do bairro Serra, e instrumentos de sopro, como trompete e trombone, o bloco canta hits como “Cilada”, do grupo Molejo. Nesta tarde, o Me Beija também grava clipe de uma música autoral, chamada “Eu Vou”.  

“Antigamente a gente tocava pagodes conhecidos dos anos 1990. Agora trazemos até canções próprias”, explica o fundador do grupo, Matheus Brant. Outro ritmo que passou a integrar o repertório foi o funk, que agita quem passa pela Contorno. 

A vendedora ambulante Amanda da Silva, de 30 anos, deu um tempo no comércio para filmar a bateria tocando a canção. “Montei minha escala de trabalho pensando nos ritmos que gosto. Sou apaixonada por pagode e estou me divertindo demais. A energia é ótima!”, diz. 

A professora Lucélia de Assis, de 50 anos, trouxe irmãs, filha e netos para arrastar o bloco na rua. Este é o terceiro ano que a família, que reúne oito pessoas, aproveita o desfile. “Adoro samba, aqui não tem briga, é seguro e uma delícia. Se tivesse um espaço para as mães com crianças seria ainda melhor”, afirma.

Leia mais:

Além dos bloquinhos, o folião pode curtir o Carnaval nas apresentações espalhadas por BH; confira
PM dá dicas para evitar assaltos no Carnaval de Belo Horizonte; confira!
Bloco Sagrada Profana colore as ruas da Floresta de roxo e prata neste domingo