Milhares de peças de roupas com suspeita de falsificação foram apreendidas nesta quinta-feira (25), em endereços de Contagem e Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Civil, os produtos seriam vendidos em todo o Estado em lojas físicas e online.

A investigação da Polícia Civil começou em maio, quando uma representante de uma fabricante de calças jeans acionou a corporação ao perceber que materiais falsificados estavam sendo comercializados ilegalmente com a marca da empresa.

Nos locais onde as roupas eram armazenadas, foram encontrados bonés, bolsas, calças, bermudas, camisas e peças íntimas masculinas e femininas. Os policiais também identificaram os possíveis responsáveis pelo negócio. 

O delegado Marlon Pacheco de Castro afirmou que o suspeito de comandar o negócio ilegal o autointitulava como “Brás de Belo Horizonte e Região Metropolitana”, em referência ao bairro de São Paulo (SP) famoso por sua tradição no comércio de vestuário.

Em entrevista coletiva, Castro afirmou ser impossível calcular exatamente a quantidade de peças encontradas nos seis mandados de busca e apreensão expedidos pela operação. “Uma carreta não seria suficiente para retirar o material”, comentou.

Além das roupas, foram apreendidos: máquinas de cartão, computadores e celulares, que serão utilizados na continuidade da investigação.

Leia mais:
Adolescente que dirigia uma S10 atinge quatro carros e complica trânsito na avenida Antônio Carlos
Reclamações de consumidores aumentam na Black Friday e já se aproximam das 7 mil queixas, diz site