A consulta pública do projeto de concessão da Rodoviária de Belo Horizonte, dos cinco terminais e das 17 estações do Sistema Move Metropolitano foi lançado pelo governo de Minas nessa quarta-feira (22). O período para recebimento de sugestões será de 30 dias.

Segundo a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) é de que sejam investidos cerca de R$ 116 milhões pelo futuro operador. O modelo vai viabilizar o aperfeiçoamento geral dos serviços por meio da modernização e da gestão da infraestrutura já existente e associada. 

O objetivo é otimizar a circulação e o acesso aos ônibus do transporte coletivo, tanto no Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro (Tergip) quanto no sistema do Move. Cálculos da Seinfra indicam que a concessão terá potencial de gerar cerca de 2,8 mil empregos diretos e indiretos, além de arrecadar R$ 17,5 milhões em impostos.

Como participar

Para a secretaria, a consulta é uma oportunidade para que potenciais interessados e a população em geral possam enviar contribuições e questionamentos sobre o modelo proposto, além de garantir transparência ao processo de concessão. As manifestações podem ser encaminhadas para o e-mail concessaoterminais@infraestrutura.mg.gov.br até as 23h59 de 22 de outubro.

A documentação completa, o formulário modelo de questionamentos e o regulamento com a forma de participação estão disponíveis no site da Seinfra e também na página da Unidade de PPP de Minas Gerais. Também será feita audiência pública para apresentação e esclarecimentos sobre o projeto. A data da sessão ainda será divulgada.

O subsecretário de Transportes da Seinfra, Gabriel Ribeiro Fajardo, destacou que a concessão representa um avanço para os serviços públicos oferecidos. “Atenderemos tanto passageiros que utilizam ônibus intermunicipais como aqueles que, no dia a dia, usam o Move Metropolitano. Já no primeiro ano vamos contar com investimentos importantes para o conforto e a satisfação do usuário”.

Rodoviária

A Rodoviária de Belo Horizonte, no Centro da capital, conta com área de pouco mais de 45 mil metros quadrados e é o principal terminal de Minas Gerais. Pelo local, circulam aproximadamente 10 milhões de passageiros por ano, em linhas de transporte coletivo intermunicipal, interestadual e internacional.

Além dos serviços de apoio ao embarque e ao desembarque, possui um centro comercial com serviços de alimentação, bancos, Correios e estacionamento para veículos particulares. O movimento diário é de aproximadamente 40 mil pessoas e 230 linhas de ônibus. A operação atualmente é realizada pelo Estado de Minas Gerais, por intermédio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge).

Move

A estrutura do Move da Região Metropolitana proporciona acesso direto a 113 linhas nos cinco terminais e a 23 linhas nas estações, em diversas localidades que compõem a RMBH. O projeto prevê a concessão dos terminais de São Benedito (Santa Luzia); Morro Alto (Vespasiano); Sarzedo; Justinópolis (Ribeirão das Neves) e Ibirité, que, juntos, recebem diariamente cerca de 89 mil passageiros.

Já as estações de transferência contempladas são: Risoleta Neves; Portal Santa Luzia; Ubajara; Atalaia; Alvorada; Bernardo Monteiro; Nossa Senhora de Copacabana; UPA Justinópolis; MG-010 – San Marino, sentido Centro/Bairro; MG-010 – Trevo Santa Luzia, sentido Centro/Bairro; MG-010 – Serra Verde, sentido Centro/Bairro; MG-010 – Cidade Administrativa, sentido Centro/Bairro; MG-010 – Morro Alto; MG-010 – Serra Verde, sentido Bairro / Centro; MG-010 – San Marino, sentido Bairro/Centro; Aarão Reis e Oiapoque. Aproximadamente 22 mil usuários circulam todos os dias por esses locais. 

No projeto, há intervenções imediatas para serem executadas nos terminais, como a melhoria das condições de utilização de banheiros e fraldários, a revitalização e a atualização das sinalizações de informação, a disponibilização de internet wi-fi gratuita e a revisão e a melhoria das condições de acessibilidade.

*Com Agência Minas

Leia mais:
Minas vive situação de risco iminente de colapso no fornecimento de energia
Especialistas veem risco de apagão de energia severo e duradouro em Minas