As confirmações diárias de casos e mortes por Covid-19 diminuíram em Minas na comparação com a semana passada. Nas últimas 24 horas, foram atestados 1.476 infectados e 16 óbitos, conforme boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (11).

Análises de novos registros no decorrer dos próximos 14 dias ainda são necessárias para indicar se o Estado estaria saindo do platô. Assim, os cuidados para que a população mantenha as medidas de segurança devem permanecer.

Comparativo
Seis dias atrás, em 5 de julho, foram confirmadas 152 vidas perdidas e 3,9 mil doentes em 24 horas. Já no dia 7, foram quase 4,5 mil doentes pela síndrome em apenas um dia.

“Ao que tudo indica, o Estado está saindo do platô. Essa mesma tendência já tínhamos notado em Belo Horizonte e, agora, no Estado”, afirma o infectologista Carlos Starling, que faz parte do Comitê de Combate à Covid-19 em BH.

No entanto, o médico alerta que o cenário ainda pode mudar. “O Estado estava estabilizado em um platô, mas agora tem tendência discreta de queda. Percebemos que os casos estão diminuindo, mas os registros podem ser flutuantes”.

Queda
Na semana passada, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirmou que a taxa de transmissão do vírus caiu para 0,9%. Apesar da redução do contágio, as medidas sanitárias para impedir a transmissão do vírus não podem ser ignoradas.

Uso de máscara, distanciamento social e isolamento devem ser mantidos. "Sem entusiasmo. Todas as etapas dessa epidemia provocam sofrimento. Não dá para relaxar, pois ainda temos muitos moradores suscetíveis à doença. E, sem contribuição da população, os números podem voltar a subir", disse o médico.

Levantamento
Atualmente, Minas tem 156.551 infectados e 3.613 óbitos pelo coronavírus. O boletim epidemiológico da SES revela que há casos de Covid-19 fez vítimas em 821 dos 853 municípios mineiros. Hoje, o Estado tem 27.936 infectados que estão sendo monitorados.

Belo Horizonte é a cidade mais afetada pela doença. A capital mineira soma 24.426 casos e 670 óbitos pela enfermidade.

Cautela na avaliação

Questionado se a queda nos casos e mortes por Covid-19 pode significar o fim do platô em Minas, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, afirmou que os dados são reveladores, mas precisam ser avaliados com "muita cautela". 

Segundo o gestor, os dados têm mostrado diminuição ou, pelo menos, estabilização do número de casos confirmados; diminuição no percentual de exames positivos para Covid-19 realizados em laboratórios públicos; tendência de queda do número absoluto de solicitações de internações; e tendência a estabilidade da ocupação de leitos hospitalares.

"E, também, do ponto de vista de óbitos, uma tendência de estabilização, quiçá, de redução. Nesse contexto, eu acredito que estamos num platô e é possível que estejamos começando a vislumbrar uma tendência a queda", disse Amaral.

"Mas eu só vou falar que está caindo quando eu tiver certeza de que realmente começou a cair e que todos os nossos indicadores estão tendendo a cair", completou.

Com Anderson Rocha

Leia mais:
Infectologista: tomar mais de uma vacina não significa maior proteção
Pacientes com Covid podem apresentar fragmentos do vírus no organismo por até três meses