Morreu nesta segunda-feira (13) o médico Selmo Geber, co-fundador da Origen, clínica de medicina reprodutiva criada em Belo Horizonte. Geber tinha 56 anos e lutava contra um câncer, descoberto há alguns meses. Ele deixa a esposa, Anna Sylvia, e o três filhos, Luiza, Guilherme e Miguel.

Especialista em ginecologia e obstetrícia, formou-se na UFMG em 1989, e fundou a clínica em 1995, junto com o médico Marcos Sampaio. A Origen foi pioneira em várias técnicas de medicina reprodutiva no Brasil, como a identificação genética de doenças antes da implantação no útero e o congelamento de tecido ovariano. Atualmente, a clínica tem cerca de 15 unidades - em cidades mineiras, no Rio de Janeiro e na Bahia. 

Nas redes sociais, a Origen afirmou que a clínica “é a materialização de um sonho do dr. Selmo, profissional exímio, referência em sua área de atuação, que durante todos esses anos se dedicou com afinco para realizar o desejo de milhares de pacientes atendidas por ele”. 

Trajetória

Geber fez doutorado em fertilização in vitro e embriologia no Royal Postgraduate Medical School, Universidade de Londres, e pós-doutorado com pesquisa em células tronco embrionárias. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA) e diretor da Rede Latinoamericana de Reprodução Assistida (RedLara) para o Brasil. Publicou dez livros, cerca de 50 capítulos de livros e mais de 100 artigos científicos. Era professor titular da Faculdade de Medicina da UFMG e livre docente pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). 

Leia mais:

Área queimada em unidades de conservação em Minas cresce quase 50%; Estado inicia força-tarefa
Brasil recebe mais de 5 milhões de doses da vacina Pfizer contra Covid-19
Município na Zona da Mata elege novo prefeito