Já se encontra no sistema prisional o motorista do aplicativo Uber, de 57 anos, que se envolveu em um acidente que matou duas passageiras no Anel Rodoviário, na última segunda-feira (14). O homem, que já estava internado sob escolta policial no Hospital de Pronto-Socorro (HPS) João XXIII, recebeu alta na tarde de terça-feira (15) e foi encaminhado em seguida para a Coordenação de Operações Policiais do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG). 

Segundo a assessoria de imprensa do órgão, ele foi autuado pelas duas mortes. O motorista responderá por homicídio culposo (sem intenção de matar) na direção de veículo automotor. Este crime tem pena prevista de 2 a 4 anos de prisão, entretanto, no caso do acidente ocorrer no exercício de profissão, esta pena pode ser aumentada de 1/3 à metade, podendo chegar até a 6 anos de reclusão. 

acidente anel
A batida aconteceu na marginal do Anel Rodoviário, após o motorista não respeitar a parada obrigatória

Após passar pela delegacia, o motorista foi encaminhado ao sistema prisional, onde aguarda uma audiência de custódia na Justiça, que determinará se ele poderá ou não sair após pagamento de fiança e responder o processo em liberdade. Ainda conforme o Detran, o depoimento do suspeito será colhido ao longo da investigação. Tanto o veículo, um Toyota Etios, quanto o motorista estavam com todas as documentações em dia. 

Para Lucas Soares, de 33 anos, que era amigo de infância das duas irmãs mortas no acidente, o motorista do carro de aplicativo foi irresponsável. "Ele passou direto no cruzamento, nem olhou e foi atravessando. Quando se transporta vidas, tem que pensar nisso antes de tentar atravessar em um lugar tão perigoso", lamentou na terça-feira (15), após acompanhar o velório das vítimas. 

O acidente

A batida aconteceu na tarde de segunda-feira na pista marginal do Anel Rodoviário, na altura do bairro Suzana, região Nordeste de Belo Horizonte. Um vídeo de uma câmera de segurança mostrou que o condutor do aplicativo teria avançado o cruzamento onde havia uma parada obrigatória, sendo atingido na lateral por um ônibus suplementar da linha 80 (Jardim Vitória / Estação Vila Oeste). 

Com o impacto, morreram as duas irmãs que estavam no banco traseiro do carro de passeio, Liliane e Viviane Soares dos Santos, de 36 e 42 anos, sendo a mais velha delas cega desde a infância. As duas estavam a caminho da casa da mais nova delas com o objetivo de buscar um carro que possibilitaria que elas buscassem o pai no hospital, de onde tinha acabado de receber alta. 

Por nota, a Uber lamentou o acidente e declarou que está "se solidarizando com os familiares das vítimas neste momento de dor". Segundo a empresa, todas as viagens feitas pelo app são cobertas por um seguro APP, que cobre acidentes pessoais. Em caso de morte, conforme consta no site da empresa, o seguro é de R$ 100 mil.

Assista ao vídeo que mostra o momento do acidente: 

Leia mais:
Irmãs que morreram em acidente com Uber iam buscar pai que recebeu alta em hospital
Polícia abre inquérito para investigar mortes após acidente no Anel em BH; irmãs são veladas
Acidente entre carro e ônibus no Anel Rodoviário deixa dois mortos no bairro Suzana; veja o vídeo