A situação nos postos de combustíveis de Belo Horizonte começou a se normalizar no início da noite desta segunda-feira (03), após a alta procura dos motoristas desde o fim de semana. O movimento atípico foi provocado pelos rumores de uma nova paralisação dos caminhoneiros. 

A BHTrans informou que não há retenções no trânsito da capital por causa de filas nos postos, como foi registrado durante a manhã. 

Nos estabelecimentos da região Oeste de BH os motoristas não encontraram dificuldades para abastecer no fim da tarde. Em alguns postos, o combustível acabou durante a manhã, mas a situação foi regularizada ao longo do dia.

Já em posto da avenida Tancredo Neves, no bairro Castelo, na Região da Pampulha, o movimento ainda era grande.

O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro) informou na manhã desta segunda-feira (3) que não há dificuldade no abastecimento dos postos em qualquer região do Estado. No entanto, diante da corrida aos postos, o Minaspetro alertou que a movimentação os consumidores pode acelerar a baixa de estoque. 

Já o Sindicato dos Transportadores de Combustíveis e Derivados do Petróleo de Minas Gerais (Sindtanque-MG) declarou, desde a meia-noite, estado de greve. Isto significa um alerta dos trabalhadores ao governo sobre o começo de uma greve que pode ser deflagrada a qualquer momento. Mas, por enquanto, os tanqueiros, que transportam diesel e gasolina, seguem com o abastecimento em todo Estado e aguardam o resultado de uma reunião agendada para a tarde desta terça-feira (4), no Rio de Janeiro, com a BR Distribuidora (Petrobras). 

O Sindtanque quer o cumprimento da Lei do Frete, que instituiu a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas e a redução do preço do diesel.

Leia mais:
Tanqueiros descartam paralisação até reunião com a BR Distribuidora, marcada para a tarde de terça
Entidade que convocou nova greve dos caminhoneiros para o dia 10 não tem representatividade, diz PRF
Corrida aos postos já provoca desabastecimento em BH; em estado de greve, tanqueiros ameaçam parar