Uma mulher de 50 anos foi estuprada e mantida em cárcere privado por 14 horas, até a madrugada desta terça-feira (11), por um homem que a abordou enquanto ela seguia para o trabalho, no bairro Santa Terezinha, na Pampulha. Ela foi resgatada e levada para atendimento médico, sem risco de morte.

De acordo com a Polícia Militar, a diarista caminhava pela avenida Heráclito Mourão de Miranda, por volta das 10h30, quando notou a aproximação de um homem. Ele a pegou pelo braço e a levou até um terreno baldio, local onde havia uma construção abandonada.

Lá, conforme relato da vítima, o criminoso a estuprou por diversas vezes, entre o fim da manhã até a madrugada desta terça. Durante todo o período, o homem a ameaçava de agressão caso ela tentasse fugir. No entanto, por volta de 0h40, a mulher tentou escapar e levou golpes de facão em diversas partes do corpo. O autor fugiu com o celular da vítima, em rumo desconhecido.

Pedido de socorro

Mesmo machucada, a trabalhadora saiu à rua e pediu ajuda. Ela foi socorrida por moradores da região, que acionaram os militares. A mulher foi levada para o Hospital Metropolitano Odilon Behrens, no São Cristóvão, na região Noroeste - com cortes nos braços, pernas e na mama -, onde segue em acompanhamento, sem risco de morte.

A perícia policial esteve na área usada para o abuso e realizou os trabalhos de análise. No local, localizaram e devolveram a bolsa da vítima, com a carteira e documentos. O caso foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil Centro. Até o momento, o criminoso não foi localizado.

Leia mais:
Pagamentos com cartões crescem 17% no primeiro trimestre, diz Abecs
Cidades mineiras suspendem a vacinação contra a Covid-19 em grávidas; confira quais
Guedes diz que reforma administrativa será moderada