Três pessoas foram presas em flagrante, na manhã desta terça-feira (25), em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, após confessarem participação no assassinato de uma mulher, cometido por causa de uma bicicleta e R$ 20. A vítima foi encontrada com cortes na cabeça, braços e mãos.

De acordo com a Polícia Militar (PM), um vizinho da casa onde a mulher foi morta ouviu gritos de socorro, por volta das 7h, que cessaram minutos depois, e acionou a polícia. Ao chegar no local indicado pela testemunha, como sendo o ponto de onde partiram os gritos, a PM encontrou uma mulher, de aparentemente 30 anos, caída ao chão, em meio ao sangue. O Samu foi acionado e o médico socorrista constatou o óbito. A perícia da Polícia Civil foi acionada e o corpo foi levado para o IML de Patos de Minas.

Ainda de acordo com a PM, por meio de imagens registradas por câmeras de segurança da região, foi possível visualizar as características dos suspeitos, que apareceram no vídeo saindo correndo do local do crime. Em patrulhamento pela cidade, os militares encontraram um dos homens, de 16 anos, próximo ao terminal rodoviário, com a camisa suja de sangue. O menor confessou o crime e afirmou que receberia uma bermuda e R$ 30 para ajudar o mentor do crime a cometer o homicídio.

Segundo a polícia, o outro suspeito, de 20 anos, foi encontrado às margens da Lagoa Grande, no bairro Santa Luzia, e também confessou o crime. Ele contou aos policiais que, no dia anterior, às margens da mesma lagoa, ele foi abordado pela vítima, que estava acompanhada por um homem não identificado, e foi roubado por ela, que levou uma bicicleta e R$ 20. O suspeito afirma ter tentado negociar com a mulher, pedindo que ela devolvesse os pertences dele, mas ela teria recusado.

Então, o suspeito foi em busca de um comparsa para executar o crime. Após descobrir o paradeiro da mulher, e acompanhado do menor de idade, o jovem foi até a casa onde a vítima passava a noite e, ao perceber que ela não estava, ficaram escondidos esperando.

Segundo o depoimento do mentor do crime à polícia, a vítima chegou no local por volta das 23h, mas, como ela estava acompanhada por um homem, decidiram passar a noite em tocaia. Ao amanhecer, percebendo que a companhia da vítima não iria embora, os dois resolveram agir, deixando claro ao homem, que não era alvo da vingança, que se ele não fosse embora seria atacado também. Estando a vítima sozinha, na casa abandonada, os dois suspeitos desferiam vários golpes com faca, levando a mulher à morte.

Ao ser questionado pela polícia sobre o motivo do crime, o jovem, de 20 anos, disse em tom de zombaria que faria de novo, quantas vezes fossem necessárias. Após a prisão do suspeito e apreensão do menor, a Polícia Militar descobriu, durante a confissão dos dois, que a namorada do mentor do crime também teve participação no assassinato.

Encontrada em casa, a jovem, também de 20 anos, afirmou ter apenas cedido as facas, que, segundo o namorado disse a ela, seriam usadas apenas para dar um susto na vítima. Para contextualizar o depoimento, a suspeita de contribuir na execução do crime apresentou conversas dela, com o namorado, nas quais ele afirma que ação seria apenas para assustar a mulher, alvo da vingança. Porém, segundo a polícia, em uma das mensagens o namorado enfatiza, “tem que passar o cerol”, frase que caracteriza que a jovem sabia a verdadeira intenção do executor do crime.

Ainda segundo a PM, a namorada do suspeito foi presa por participação no crime. Na casa dela foi encontrada a camisa utilizada pelo mentor do assassinato suja de sangue. As facas utilizadas no homicídio foram encontradas em um entulho, na rua Minas Gerais, no município, juntamente com um recipiente com um resquício de maconha.

O casal foi encaminhado para sistema prisional do Estado. O menor infrator, que foi ouvido diante de um responsável, foi levado para uma unidade estadual de medidas socioeducativas.

O caso vai ser investigado pela Polícia Civil.

Leia mais:
Mulher é esfaqueada pelo ex da irmã ao defendê-la de agressão