Uma mulher de 58 anos morreu, na tarde dessa terça-feira (11), durante deslizamento de terra em Caxambu, no Sul de Minas, por causa das chuvas. Com isso, o número de óbitos neste ano sobe para 60, considerando a partir de 24 de janeiro. Já o total de mortes no período chuvoso, desde outubro de 2019, já chega a 71 no Estado. 

Segundo a Defesa Civil Estadual, a última vítima estava em casa, na rua Aristides Junqueira Cotti, no bairro Santa Teresa, quando um barranco cedeu e caiu em cima da residência. O deslizamento chegou a quebrar as paredes do imóvel e a mulher foi soterrada. Moradores de outras três casas vizinhas tiveram que sair às pressas devido ao risco de novos desastres.  Ao todo, sete pessoas ficaram desalojadas, três desabrigadas, e pelo menos quatro imóveis foram afetados. 

Antes disso, a última morte contabilizada no período chuvoso deste ano havia sido a da mulher arrastada por uma enchente durante forte temporal em Santana do Riacho, na Serra do Cipó. Ela perdeu a vida quando tentava salvar o marido que havia ficado ilhado. O corpo foi encontrado no último sábado (8), quatro dias após o início das buscas. 

Além de Caxambu, a o temporal também provocou estragos em outros municípios do Sul de Minas, o que pode fazer com que o número de cidades em situação de emergência, atualmente 196, aumente nos próximos dias.

Sul de Minas e Rio Doce 

Em Bandeira do Sul, por exemplo, as tempestades desta semana fizeram com que 400 pessoas deixassem as casas. Além disso, 136 residências foram afetadas, três pontes destruídas ou danificadas, e o rio que corta a localidade transbordou, afetando a população ribeirinha. 

Ainda no Sul de Minas, em Campestre, 41 pessoas tiveram que deixaram as casas, Lá, duas residências foram afetadas e uma represa foi rompida, causando o alagamento. No total, sete pontes foram danificadas por causa das chuvas. 

Em Poço Fundo, já são 1250 desalojados e desabrigados, 300 casas afetadas e 12 pontes danificadas. Além disso, o rio Machado transbordou e o abastecimento de água está comprometido. Uma escola municipal está sendo utilizada como abrigo para quem precisou sair de casa.

Poço Fundo

Em Poço Fundo, chuva e transbordamento do rio inundaram diversas residências 

Na mesma região, Espírito Santo do Dourado também teve diversas residências evacuadas devido ao risco de deslizamento de encostas. Oito pessoas estão desabrigadas e desalojadas. Em Soledade de Minas, o número de desalojados é 11, e três casas foram afetadas. Além disso, houve registro de deslizamentos, mas sem vítimas. 

Já na região do Rio Doce, a tempestade dessa terça (11) veio acompanhada de granizo e também causou diversos estragos em Governador Valadares. Mesmo durando cerca de 15 minutos, a chuva derrubou várias árvores, arrancou telhados de imóveis, alagou os bairros Esplanada e São Pedro, fez o teto do ginásio de um colégio desabar e interditou vias. Felizmente, até esta quarta-feira (12), não há registro de desalojados, desabrigados ou feridos.

Leia mais:

Câmara devolve mais de R$ 57 milhões para a PBH; verba será usada na recuperação da cidade
Barragem da Vale em Nova Lima entra em nível dois de emergência por causa das chuvas
Minas registra mais de 2,9 mil casos de dengue em uma semana; média é de 415 notificações por dia
Quase 30 cidades mineiras têm alerta para chuvas severas nas próximas horas; veja lista