Como medida para evitar a propagação da Covid-19, a partir desta terça-feira (5), os equipamentos culturais do Circuito Liberdade, que são geridos pelo Governo de Minas, vão ter as atividades presenciais suspensas por tempo indeterminado. 

Os espaços seguem fechados para visitas presenciais, mas continuam com atividades online, como palestras, cursos, visitas guiadas e exposições.

Segundo a a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, a medida segue os protocolos do Minas Consciente, que coloca Belo Horizonte na onda vermelha, em que somente serviços essenciais devem funcionar. A capital mineira não aderiu ao programa estadual e mantém o comércio e serviços abertos conforme protocolo próprio.

Encontram-se fechados para visitação o Arquivo Público Mineiro, a Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, o BDMG Cultural, o Cefart Liberdade, o Centro de Arte Popular, o Museu Mineiro, Museu dos Militares Mineiros e o Palácio da Liberdade.

Já os espaços culturais privados ou parceiros do Estado, que fazem parte do Circuito Liberdade têm autonomia para funcionar. Estão abertos, entre outros, o CCBB e o Centro Cultural Minas Tênis Clube. 

Museus fechados em Minas

Além desses locais em Belo Horizonte, os museus de Minas sob gestão do governo de Minas também seguem a mesma diretriz de manterem as atividades presenciais suspensas. Os museus Casa Alphonsus de Guimaraens (em Mariana) e Casa Guignard (em Ouro Preto) estão fechados desde 21 de dezembro de 2020 e o Museu Casa Guimarães Rosa (Cordisburgo) está fechado desde 24 de dezembro de 2020, em virtude das três cidades também estarem na onda vermelha.

Covid-19

Nesta terça-feira (5), Minas Gerais chegou a 556.692 casos confirmados de coronavírus, com 12.083 mortes. Nas últimas 24 horas, houve 4.588 novos pacientes infectados registrados, sendo 20 óbitos.