Maior polo calçadista de Minas Gerais, a cidade de Nova Serrana, no Centro-Oeste do Estado, foi alvo de uma operação da Polícia Civil nesta quinta-feira (18). Cerca de 1,5 milhão de calçados falsificados foram apreendidos e 11 pessoas foram detidas. Posteriormente, a operação se desdobrará em novas fases para apurar a existência de possíveis notas fiscais frias e crimes de lavagem de dinheiro. 

Segundo o delegado Marcus Vinícius Lobo Leite Vieira, da 1° Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), a ação foi realizada em parceria com o Departamento Estadual de Operações Especiais (Deosp). Acompanharam ainda a chamada "Operação Serrana" representantes de 15 marcas de calçados que foram alvos de falsificações. 

"Há cerca de três meses foram identificadas fábricas clandestinas em Nova Serrana e, hoje, foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão em fábricas e transportadoras da cidade, e 11 pessoas foram conduzidas ao Deoesp para serem ouvidas", detalhou o delegado. 

Os calçados eram falsificados de diversas formas. Algumas falsificações são grosseiras, mas outras, são cópias idênticas às originais de marcas conhecidas nacionalmente. Os materiais eram distribuídos em shoppings populares de Belo Horizonte e de São Paulo. A apreensão de 1,5 milhão de calçados falsificados lotou seis caminhões.  

As pessoas conduzidas à delegacia devem ser autuadas por crimes contra as relações de consumo e contra as marcas. A pena varia de dois a cinco anos de prisão. 

FalsificadosAlgumas falsificações são idênticas aos originais 

Leia mais:
Juíza estipula fiança de suspeitos de fraudar indenização da Vale no valor recebido ilegalmente
Prefeito e secretário de Contagem negam lavagem de dinheiro e criticam operação do MP
Operação conjunta das polícias Militar e Civil mira criminosos em Conselheiro Lafaiete