O Comitê de Enfrentamento à Covid-19 e o prefeito Alexandre Kalil (PSD) adiaram a decisão sobre a reabertura do comércio de Belo Horizonte. Segundo a administração municipal, a definição deverá sair até sexta-feira (16).

"Em que pese a melhora dos índices de monitoramento, o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 avalia as  perspectivas de suprimento de insumos e medicamentos destinados à rede hospitalar de Belo Horizonte, para a tomada de decisões em relação à reabertura das atividades na cidade", disse a PBH, em nota.

O encontro entre o chefe do Executivo municipal e o grupo de infectologistas acontece a portas fechadas e começou por volta de 14h. A expectativa era de uma resposta ainda nesta quarta-feira (14) diante da pressão do comércio pela nova flexibilização. Alguns setores, como bares e restaurantes, esperavam a autorização para reabrir as portas. Os segmentos, por exemplo, só podem atender, desde 6 de março, por delivery.

Antes da reunião desta tarde, o Sindicato dos Lojistas de Belo Horizonte (Sindilojas) apresentou aos secretários de Saúde e de Planejamento, Jackson Machado e André Reis, respectivamente, uma pesquisa que aponta que 42% dos comerciantes da cidade não conseguiram pagar os salários dos funcionários em março. A entidade pediu providências para minimizar os impactos da quarentena nas atividades empresariais.

A reabertura, no entanto, depende da avaliação positiva dos médicos quanto aos indicadores que monitoram o vírus na capital mineira, o que foi observado nos últimos boletins epidemiológicos e assistenciais da prefeitura.

*Com Renata Galdino

Leia Mais:
Conselho de Saúde de BH recomenda lockdown pelas próximas três semanas na capital
É hora de flexibilizar as medidas restritivas de combate à Covid em BH? Infectologista analisa
Infectologista e lojistas divergem na véspera de definição da PBH sobre flexibilização